PUBLICIDADE

Porto Seguro além do axé: veja dicas ‘lado B’ na cidade

Explore a gastronomia, a história que deu origem ao Brasil, as praias paradisíacas e, por que não: relaxe e entregue-se ao axé

18 jan 2016 12h29
| atualizado às 12h42
ver comentários
Publicidade

Se você está na faixa dos 30 e 40 anos e foi um adolescente, digamos, aberto aos modismos musicais que marcaram a década de 90, certamente já dançou na boquinha da garrafa, ralou o tchan ou mandou seu cavaco chorar nas areias de Porto Seguro, na Bahia. 

Siga Terra Estilo no Twitter

No auge do axé, a cidade recebia, semanalmente, verdadeiros comboios de estudantes ávidos pela malemolência da música baiana – que, inclusive, recheava CD’s duplos com os hits do verão. Tudo regado a jatos de bronzeamento com óleo de coco e muito Capeta (drinque tradicional na região).

Mas os anos se passaram e, para muitos, a cidade ficou na lembrança como um destino exclusivo para gente jovem, baladeira e, sobretudo, solteira.

Para quem, na época, não saiu muito do circuito praia-Passarela do Álcool (que passou a se chamar “Passarela do Descobrimento”), talvez não tenha conseguido imaginar que existe vida além do Axé Moi, Barramares e Toa Toa, as três mais concorridas barracas da principal praia da cidade, Taperauã.

Mas o fato é que sim, há muito mais do que lambaeróbica por lá – caso o seu gosto musical tenha mudado nos últimos 20 anos. Se você ainda gosta de axé, no entanto, não se avexe: ele ainda é presente nas barracas. E a lambaeróbica também. A qualquer momento, por exemplo, você pode se deparar com algo parecido com isso, por exemplo. (Cuidado, imagens fortes!)

Porto Seguro: axé "quente" é marca nas barracas badaladas:

Mas se você está mais para a gastronomia, para passeios culturais ou até de aventura, não ficará sem programação.

A Secretaria de Turismo tem investido bastante na divulgação da diversidade do destino, justamente para tirar este estigma de que o local é adequado apenas para adolescentes e, com isso, atrair um público cada vez mais diversificado dentre os 2 milhões de turistas que recebe anualmente.

Recentemente, foi lançado um aplicativo gratuito que reúne roteiros para os mais diversos gostos. Uma vez que o usuário baixa o app, o conteúdo pode ser acessado off-line.

Chegou e ficou

Porto Seguro é uma cidade rica em miscigenação. O “uai” é presença garantida nas ruas: pela proximidade física e pela ausência de praias em sua terra natal, milhares de mineiros visitam a cidade todo ano – sendo que algumas centenas deles resolvem ficar por lá mesmo.

Gringos também costumam se encantar com o estilo de vida local. Muitos europeus, seduzidos pelo clima e pela receptividade do povo, também resolveram empreender e tocar a vida nas areias baianas.

O fato é que todo mundo tem uma história para contar por aquelas bandas. Aqui, você acompanha algumas delas, além de dicas de passeios reunidos pelo Terra.

Índio quer Whatsapp, índio quer Facebook

Talvez um dos passeios mais inusitados da cidade de Porto Seguro seja a Reserva da Jaqueira, onde reside uma tribo Pataxó composta por quase 100 índios.

A visita é uma oportunidade de conhecer um pouco da trajetória da etnia, seus costumes e hábitos. A trilha é guiada e tem paradas estratégicas, como na oca do pajé, que exibe, orgulhoso, os remédios feitos com ervas e plantas medicinais. Saiba mais clicando aqui.

Trancoso e Arraial d'Ajuda: capítulos à parte

Os distritos de Trancoso e Arraial D'Ajuda merecem destaque especial por serem tão próximos fisicamente das praias centrais de Porto Seguro e, mesmo assim, oferecem um tipo de experiência tão diferente. Ambas são cheias de identidade e belezas naturais de tirar o fôlego. Saiba mais clicando aqui.

Trancoso, um dos cartões postais de Porto Seguro
Trancoso, um dos cartões postais de Porto Seguro
Foto: Danielle Barg / Terra

Um pouco de história

A terra que marcou o descobrimento do Brasil tem história para contar. No Centro Histórico, localizado na parte alta da cidade, é possível voltar no tempo. As casinhas coloridas, tombadas pelo patrimônio histórico e habitadas por moradores locais, são a porta de entrada da região. De lá também se tem uma bela vista da cidade. Saiba mais sobre as opções turísticas para quem quer conhecer mais sobre a origem do nosso País.

A parte histórica da cidade é um prato cheio para quem tem interesse em conhecer melhor as origens do Brasil
A parte histórica da cidade é um prato cheio para quem tem interesse em conhecer melhor as origens do Brasil
Foto: Danielle Barg / Terra

Gastronomia: moqueca para todo lado

A culinária de Porto Seguro tem um quê de Portugal, um de Minas Gerais, muita referência indígena, mas o que prevalece mesmo nos pratos é a identidade baiana. Os fãs de peixes e frutos do mar não terão dificuldades para encontrar uma boa moqueca: o prato é o carro-chefe de boa parte dos estabelecimentos. Quer saber mais sobre o que é que o prato da baiana tem? Clique aqui.

Miniacarajé com dendê do Axé Moi
Miniacarajé com dendê do Axé Moi
Foto: Danielle Barg / Terra

Para os esportistas

Quem quer misturar a sombra e a água fresca com um pouco de adrenalina encontram passeios e atividades em muitos hotéis ou barracas locais.

No Porto Seguro Praia Resort, por exemplo, é possível praticar arvorismo, escalada, rapel e tirolesa. Já no Hotel Estalagem, o visitante pode encomendar um passeio de bike, com roteiros que variam de acordo com o fôlego de cada um.

Os tours são guiados e custam a partir de R$ 105 por pessoa, com direito a água e lanchinhos. Quem prefere o “voo solo”, o hotel também oferece aluguel de bikes por um dia. Quem quiser arriscar um voo de parapente pode apostar em um voo duplo em Arraial. 

Arraial também é procurado por fãs de esportes radicais, como o parapente
Arraial também é procurado por fãs de esportes radicais, como o parapente
Foto: Danielle Barg / Terra

Serviço

Porto Seguro Praia Resort
Av. Beira Mar, Nº 1500, Praia de Curuipe
(73) 3288-9393

Hotel estalagem (passeios organizados pela Bahia Active)
Rua Marechal Deodoro, 66 – Pacatá
(73) 3288-2095
www.bahiaactive.com.br

Parapente
www.flyhighparagliding.com
(73) 9983-8603

Se você quer farra, tome farra!

Quem tem fôlego de sobra pode se jogar nas barracas que cercam a praia de Taperapuan, na avenida Beira Mar. A alegria das músicas e da dança já são tradição no local. Quer saber onde se divertir? Clique aqui.

Vilma Sereia é uma comerciante local que tem sua barraquinha na Passarela há 28 anos; ela conta que o drinque "Capeta" continua sendo o que faz maior sucesso: ele leva abacaxi, pó e extrato de guaraná, vodca e leite condensado
Vilma Sereia é uma comerciante local que tem sua barraquinha na Passarela há 28 anos; ela conta que o drinque "Capeta" continua sendo o que faz maior sucesso: ele leva abacaxi, pó e extrato de guaraná, vodca e leite condensado
Foto: Danielle Barg / Terra

Para quem quer ir além

Se você está de carro e pretende ir além dos limites da praia principal, vale explorar os arredores e sair um pouco da região central. Pegue a estrada e não hesite em conhecer um pouco das vilinhas locais. Clique aqui para saber algumas opções, como o Borboletário Asas Mágicas e as praia de Coroa Vermelha. Saiba mais.

Coroa Vermelha é reconhecido como o primeiro local onde Pedro Álvares de Cabral pisou no Brasil
Coroa Vermelha é reconhecido como o primeiro local onde Pedro Álvares de Cabral pisou no Brasil
Foto: Danielle Barg / Terra

A repórter viajou a convite da Secretária de Turismo de Porto Seguro-BA.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade