PUBLICIDADE

Conheça os museus mais estranhos do mundo

ver comentários
Publicidade

Museus costumam ser lugares para encontrar arte, cultura e história. Mas alguns deles surpreendem, especializando-se em assuntos curiosos e inusitados. O site Huffington Post escolheu os museus mais estranhos do planeta. Confira:

De tampa de privada a kiwi, tudo pode ser tema de um desses museus longe de tradicionais
De tampa de privada a kiwi, tudo pode ser tema de um desses museus longe de tradicionais
Foto: Divulgação

Museu do Esgoto, França
Um endereço elegante à beira do Rio Sena, frente à Ponte de l’Alma, é a porta de entrada a um museu extravagante da capital francesa. O Museu do Esgoto leva os visitantes a conhecer a história e as origens do sistema de tratamento das águas de Paris, com um passeio pelo coração da rede de esgotos e registros de diferentes tipos.

Museu do Ramen, Japão
Situado na cidade de Yokohama, o Museu do Ramen homenageia este caldo japonês de origem chinesa feito de macarrão instantâneo, carne e legumes. O prato nasceu no século passado, se tornou muito popular no Japão e ganhou um museu onde, além de registros sobre sua origem, encontram-se pontos para provar os melhores ramens do país, com receitas dos restaurantes especializados mais famosos de diferentes cidades.

Museu da Arte Ruim, Estados Unidos
Mais de 600 peças, que seriam ridicularizadas em qualquer museu, têm o seu lugar no Museu da Arte Ruim. Situadas num antigo porão da cidade de Dedham, a meia hora de Boston, as obras são consideradas como “ruins demais para serem ignoradas”. Retratos, paisagens, naturezas mortas e muito mais é o que se encontra no MOBA, sigla em inglês do museu.

Museu da Batata Frita, Bélgica
Inaugurado em 2008 na cidade de Bruges, o Museu da Batata Frita (Fritsmuseum) homenageia o prato mais emblemático da Bélgica. O Fritsmuseum conta com fotos, cartazes e obras de arte ligados às batatas fritas, descascadores históricos e até a exibição de um vídeo que ensina a preparar “a batata-frita perfeita”.

Kiwi 360, Nova Zelândia
Situada no norte da Nova Zelândia, a cidade de Te Puke é considerada como a capital mundial do kiwi pela importância do cultivo da fruta no local. Conhecido por seu kiwi gigante, o museu Kiwi 360 leva seus visitantes a conhecer tudo sobre a fruta marrom de carne verde, desde seu processo de cultivo e colheita à sua exportação, com venda de produtos derivados e tours de cerca de 40 minutos em “kiwimóveis” , carrinhos de golfe decorados para parecer com kiwis.

Museu do SPAM, Estados Unidos
Hoje em dia, SPAM é o termo usado para os inúmeros e-mails de propaganda, tentativas de calotes e vírus enviados para as caixas de correio a través do mundo. Mas a origem da expressão vem de um tradicional presunto enlatado imortalizado por um esquete do grupo de humor britânico Monty Python que criou a relação entre o produto e os e-mails indesejados. Este produto tão simples recebeu seu próprio museu na cidade de Austin, com toda a história da marca e seus produtos, e até referências ao famoso esquete.

Museu do Falo, Islândia
Mais de 276 pênis, indo do membro de dois milímetros às partes privadas colossais de mais de  um metro e meio de uma baleia, encontram-se expostos no primeiro museu do sexo masculino, o Museu do Falo da cidade de Husavik, no norte da Islândia.  Recentemente, o museu recebeu seu primeiro pênis humano, doado por um falecido islandês de 95 anos.

Grutas Park, Lituânia
A cerca de 120 km de Vilnius, capital da Lituânia, um curioso museu leva os visitantes à época em que o país fazia parte da União Soviética. Além de dezenas de estátuas em homenagem ao socialismo que escaparam da destruição quando a Lituânia se tornou independente, o museu de Grutas Park  tem um restaurante com pratos típicos a época soviética.

Museu dos Toaletes, Índia
Toaletes são assunto sério no Museu dos Toaletes Sulabh Internacional. Através do estudo da história e do design de privadas do mundo inteiro e de diferentes épocas, o museu, situado em Nova Déli, busca chamar a atenção sobre a importância do saneamento básico na Índia e no resto do mundo.

Museu da Tortura, Holanda
O Museu da Tortura de Amsterdã mostra a seus visitantes em detalhes os piores tipos de crueldade entre seres humanos. Documentos ilustram a história da tortura e  instrumentos antigos como o “quebrador de crânios” ou a “cadeira da inquisição”, mostram diferentes técnicas de tortura, causando arrepios nos turistas que se aventuram no local.

Museu da Mostarda, Estados Unidos
Situado na cidade de Middleton, no estado americano de Wisconsin, o Museu Nacional da Mostarda começou com a coleção do habitante local Barry Levneson, que juntou mais de 5 mil mostardas de 60 países. Hoje, visitantes encontram também imagens, objetos e curiosidades relacionadas ao tempero. O museu tem entrada gratuita, e organiza degustações de diferentes tipos de mostardas do mundo.

Museu das coleiras, Inglaterra
Os cachorros da Idade Média viviam uma vida de luxo comparada com a dos cães de hoje em dia, usando coleiras e acessórios sofisticados. Mais de cem dessas coleiras, que datam de até cinco séculos atrás estão expostas no Museu das coleiras, no belo Castelo de Leeds, no sudeste da Inglaterra.

Museu do Currywyrst, Alemanha
Um prato de fast food típico feito de salsicha com ketchup e curry deu lugar a um dos museus mais bizarros da Alemanha. O Museu do Currywyrst está situado no bairro de Mitte, em Berlim, e conta os segredos da receita, sua história e sua venta com guias animados e atividades diferentes.

Museu dos Funerais, Estados Unidos
O Museu Nacional da História dos Funerais foi inaugurado em 1992, com o intuito de preservar e difundir tudo aquilo relacionado com o mundo dos serviços  funerários. O acervo do museu, localizado em Houston, no estado do Texas, inclui registros de todo tipo como fotos e objetos de funerais de diferentes presidentes americanos entre muitas outras peças.

Museu das Relações Terminadas, Croácia
O Museu das Relações Terminadas usa os vestígios de corações partidos para incitar à arte e a criatividade, deixando interessantes registros.  Situado em Zagreb, capital da Croácia, o museu tem objetos com histórias, ou que representem uma separação, além de obras criadas por pessoas inspiradas em suas desilusões amorosas e as doaram.

Museu das Tampas de Privadas, Estados Unidos
O texano Barney Smith é um artista inusitado que exerce sua obra em tampas de privada há mais de 30 anos. A coleção de Smith, que cria diferentes tipos de desenhos, colagens e criações sobre as tampas, já conta hoje mais de 1000 peças, e pode ser visitada em seu museu na cidade de San Antonio.

Fonte: Andrés Bruzzone Comunicação Andrés Bruzzone Comunicação
Publicidade
Publicidade