Mulheres querem um parceiro que seja dono de casa, dizem estudos

Michelle Achkar

O crescimento de mulheres em posições nas empresas, incluindo as de comando, e o maior número de representantes do sexo feminino em cursos universitários estão criando uma geração de mulheres mais bem-preparadas profissionalmente do que os homens. A constatação tem influências sobre o futuro das relações amorosas e também sobre a estrutura familiar.

Essa é a conclusão de especialistas e pesquisas sobre o assunto que apontam que as mulheres que decidirem investir no sucesso de suas carreiras irão passar a escolher o parceiro pela sua capacidade de apoiá-las nessa decisão e que podem até assumir o papel de donos de casa.

Uma estatística do governo inglês aponta que entre os formandos das universidades do país metade são mulheres, e que os homens representam apenas 30% dos que terminam um curso. Um porta-voz do governo concluiu, ao divulgar os dados, que as mulheres passarão a escolher parceiros menos qualificados e assumirão de vez o papel de chefes da família.

Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo Pew Research Centre, na Filadélfia, faz eco aos dados ingleses com a divulgação do cenário das mulheres da raça negra no país: 70% delas não têm marido e o número de formandas nos cursos universitários é o dobro dos homens.

O jornal inglês The Times repercutiu a informação entrevistando mulheres que afirmam não encontrar parceiros com o mesmo perfil de sucesso profissional e financeiro. "Eu tenho um bom emprego, meu apartamento e posso fazer quase tudo o que quero, mas a maioria dos homens que conheço não tem as mesmas possibilidades. E quando vejo os amigos da época da faculdade, eles não parecem estar tão bem quanto às mulheres", disse Claire Davis, 33, que trabalha no mercado financeiro.

Mulheres que investem na carreira querem um homem que apoie suas decisões
Mulheres que investem na carreira querem um homem que apoie suas decisões
Foto: Getty Images
Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias
publicidade