0

Vidente dá dicas de como desvendar e superar o carma

12 jan 2017
10h00
  • separator
  • comentários

Já enfrentei inúmeras vezes tal desafio: o de explicar ao meu cliente situações que não aparentam ser lógicas, efeitos cujas causas nunca se esclarecem com facilidade, circunstâncias que se repetem ao longo dos anos e parecem insolúveis.

Esses problemas ocorrem em determinadas áreas da vida de uma pessoa, às vezes, nas suas condições materiais, outras em suas perspectivas amorosas, outras, ainda, nas relações familiares ou de amizade. São o que chamo de “dificuldades recorrentes”.

Explico: é o caso daquela pessoa que tem grande capacidade de trabalho, curriculum invejável, competência comprovada, mas não acerta colocação estável no mercado de trabalho. Ou daquela outra que é bonita, atraente, bem arranjada na vida, mas os anos passam e ela não resolve as condições amorosas: jamais dá certo com alguém.

Foto: ipopba / iStock

Isso, sem falar das dificuldades com parentes (ou amigos, ou colegas de profissão), muitas vezes até os mais próximos, que guardam ressentimentos e cobranças para todo o sempre. É esse tipo de questão que parece ser insolúvel, na medida que não se apresentam suas causas, suas raízes, seu ponto de partida.

A única maneira de explicar essas circunstâncias tão sofridas é a noção de carma, sendo tomado como algo que se originou em outra fase da evolução individual e se estende sobre as vidas parecendo nunca ter fim.

A única maneira de desvendar o carma é compreendê-lo, buscar sua fontes numa visão mais amplificada e amplificadora. Videntes e sensitivos conseguem entender melhor do que o próprio indivíduo envolvido de como dar os passos de libertação para ultrapassar tanta coisa que emperra e faz sofrer.

Pessoas com força espiritualista sabem como libertar aqueles que carregam o carma, ou seja, qualquer um de nós: já que todos estão envolvidos uma vez que se não houvesse nenhum problema não estaríamos presos nessa teia específica.

Quando as coisas se desenvolvem de forma tão radical, e você acaba percebendo que algo escapa da normalidade, procure ajuda, busque auxílio de alguém que leve a reconhecer a situação e ultrapassá-la. Os carmas não são eternos, eles tem duração específica e podem (devem) ser cumpridos. Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui .

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade