0

Elas falam: carro não é pré-requisito no jogo da sedução

  • separator
  • comentários
Thaís Sabino

Perguntar a uma mulher se ela só se relaciona com caras que tenham carro pode ser entendido como ofensa. O termo "maria gasolina" não surgiu ao acaso e, realmente, os carrões chamam a atenção quando passam pelas ruas, não só do público feminino, como dos homens também. Algumas mulheres podem até aceitar sair com um homem por causa do carro que ele tem, mas além de ser uma situação superficial, o motor e as quatro rodas não são suficientes para manter um relacionamento.

» Siga Vida e Estilo no Twitter
» vc repórter: mande fotos e notícias
» Chat: tecle sobre a notícia

O conselho para os bonitões que gostam de gastar mais do que podem em um possante, passear pela cidade ou praia com o vidro abaixado, braço para fora e som ensurdecedor é que se a intenção for encontrar uma namorada, as atitudes estão completamente erradas. "Um carro legal remete a status e à primeira vista de que o motorista é bem sucedido, o que é atraente. Mas no final do dia, o cara só pega mulher por causa de seu status e não consegue conquistar ninguém. É deprimente", criticou a publicitária Luana Hazine. Segundo ela, este tipo de comportamento só atrai pessoas interessadas nos bens materiais.

Para entender o quanto é importante o homem ter carro, o Terra conversou com as mulheres e descobriu que os possantes não compensam as características emocionais, personalidade e caráter dos homens. A relações públicas Mônica Munuera não faz questão de que o parceiro tenha um automóvel, como ela mesmo não dirige, não faz este tipo de cobrança. "Vou para todos os lugares, cinema, por exemplo, de condução, sem problemas", disse ela. Mônica valoriza muito mais o bom humor, compatibilidade e maturidade do que o homem ter um carro. "Acho importante ele ter um objetivo de vida", afirmou. Um pretendente com carro, mas sem planos para o futuro seria descartado por Mônica.

A turismóloga Thiciane Amorim tem opinião similar: "não acho que isso é o mais importante, ter é bom, mas não é essencial", disse ela. Para conquistar Thiciane, os bens materiais não são os ingredientes. O homem ideal deve trabalhar, ter planos e não ficar estagnado, mas ela afirmou que "nem quer saber" o que ele tem ou deixa de ter. "Sinceridade, respeito e não vou ser hipócrita e dizer que a beleza não conta, né?", afirmou a auxiliar de vendas Luana Lazzaro sobre os fatores que ela avalia na hora de escolher um namorado. Segundo Luana, quando existe amor, andar de ônibus ou a pé faz parte da aventura.

Carro é conforto
Apesar de o automóvel não estar na lista de pré-requisitos, as mulheres entrevistadas pelo Terra concordaram entre si de que ter um veículo próprio pode ser cômodo, trazer conforto e facilitar os programas do casal. A operadora de atendimento Cristiane Alves disse: "Carro é uma questão de conforto e mulher adora isso". O bem ajuda também quando os parceiros moram longe um do outro, como é o caso de Mônica, moradora da zona norte de São Paulo, que namora um santo andreense. "Claro que o carro ajudaria na hora de viajar e se ver, mas não é um fator definitivo na escolha de um namorado", afirmou.

Luana Hazine explica que quando o homem tem carro, existe uma sensação confortável e de proteção, mas que o fato de ele não ter só seria problema se a situação fosse usada como desculpa para não sair ou vê-la. "Não ter carro não muda o interesse pelo outro", disse. O que os homens precisam entender, de acordo com a publicitária, é que as mulheres buscam um companheiro, "seja para me buscar e levar de carro para onde eu quiser ou para me segurar no balanço do ônibus", concluiu Luana.

Automóvel é visto, no entanto, como forma de comodidade e conforto
Automóvel é visto, no entanto, como forma de comodidade e conforto
Foto: Getty Images
Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade