0

Confira os maiores mitos sobre a calvície

  • separator
  •  
  • comentários
Marina Mantovanini

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, metade da população masculina vai ter algum tipo ou grau de calvície até os 50 anos. Ela aparece em 10% dos homens entre 20 e 30 anos e em 50% quando eles chegam na casa dos 40. "Por motivos genéticos os homens podem ficar calvos até os 40 anos. Após isso o que ocorre é um afinamento devido à idade, mas não à calvície", explica o professor Dr. Valcinir Bedin, médico dermatologista e Presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo, de São Paulo. Por isso, o médico indica que a pessoa procure imediatamente um tratamento para controlar a queda e retardar a calvície.

» Veja o que é mito
» Siga o Vida e Estilo no Twitter


» vc repórter: mande fotos e notícias

Mesmo com os números altos, perder parte da cabeleira ainda é um tabu para eles e alguns mitos continuam sendo alimentados pela ala masculina. Não, os géis não deixam a pessoa calva, a única função do cosmético é modelar os cabelos. A calvície é uma miniaturização do fio, um proceso interno herdado pela genética paterna ou materna, explica Bedin. Nem o uso de bonés é a causa do problema. "O uso excessivo de bonés com os cabelos molhados pode piorar situações como o aparecimento de caspa, mas não aumenta a calvície", afirma Dr. Valcinir.

Entre os tipos existentes a que mais atinge os homens é a alopecia androgênica, que causa as famosas entradas ou até mesmo a diminuição quase total dos cabelos. "Alguns homens têm maior predisposição para desenvolverem a patologia, mas fatores externos podem acelerar o processo. Em especial o estilo de vida da pessoa: fumo, excesso de álcool, estresse, alimentação inadequada e sono de baixa qualidade", diz o Dr. Ademir Jr., dermatologista especialista em tricologia (medicina capilar), de São paulo.

Outros mitos derrubados pelos dois médicos podem te ajudar a dormir mais tranquilamente. Nem lavar os cabelos diariamente, nem dormir com os fios molhados ou pentêa-los deixam a pessoa careca. "Quando penteamos os cabelos, caem apenas os que já completaram o seu ciclo de vida", afirma Ademir. E Bedin esclarece que o ato de lavar os cabelos todos os dias apenas diminui a sua resistência pois atenua o manto hidro-lipídico - aquele sebinho protetor dos fios.

Mas se você percebeu alguma alteração na melena durante o inverno, Bedin explica que realmente é comum os fios caírem mais nesta época do ano. "Durante o verão os sensores de luminosidade na pele são estimulados e os cabelos caem menos. Quando chega o outono e entra o inverno aqueles cabelos que não caíram começam a cair, dando a impressão de uma queda maior." O resultado: além de os fios caírem mais rápido, eles também nascem mais devagar. No entanto, não é exatamente a estação do ano que define se uma pessoa vai ser calva ou não.

O inverno também contribui para o aumento da caspa. A patologia é um processo inflamatório coadjuvante da queda. Cerca de 70% dos calvos têm dermatite seborréica (oleosidade e descamação do couro cabeludo). A dica é usar um bom xampu anti-caspa quando ela existir para evitar ou diminuir o problema.

Tratamento
Quanto mais cedo você procurar um especialista, maiores as chances de você se livrar ou retardar o aparecimento da calvície. "Existem medicamentos aliados a loções capilares que conseguem reverter o quadro. O importante não é a idade do paciente e sim a idade da calvície", finaliza Bedin.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade