3 eventos ao vivo

Fuja de 8 erros comuns na decoração de apartamentos pequenos

Detalhes como cores escuras e diferentes tipos de pisos podem dar a sensação de que o ambiente ainda menor

25 jul 2014
14h03
  • separator
  • comentários

Os apartamentos estão cada vez menores e, por consequência, mais difíceis de decorar com praticidade, conforto e beleza. No entanto, antes de desanimar, saiba que é possível, com pequenos truques, criar um aspecto de amplitude e ainda organizar o espaço de maneira funcional.

Siga Terra Estilo no Twitter

Com a ajuda das arquitetas Cristiane Schiavoni e Claudia Macedo, o Terra listou os oito principais erros cometidos na decoração de apartamentos pequenos. Entre os principais, estão cores muito escuras e móveis grandes sem planejamento. As especialistas também dão dicas de como driblar a falta de espaço sem abrir mão do conforto e do charme.

1. Usar cores escuras

Foto: Wagner Silveira / Divulgação

Cores claras são aliadas de ambientes pequenos porque ajudam a dar a sensação de amplitude. Excesso de cores escuras, por sua vez, tem efeito contrário e indesejado: aspecto ainda menor. Isso não significa que tem que ser algo monocromático, sem elementos de destaque. A solução pode ser deixar tons escuros para alguns móveis ou objetos, como almofadas, esculturas ou quadros. Ou ainda eleger uma parede para receber a cor viva, como mostra o projeto da foto, assinado pela arquiteta Cristiane. Informações: (11) 3649-4900.

2. Apostar em móveis grandes

Foto: Adriana Barbosa / Divulgação

Por mais que sonhe com um sofá enorme, não adianta tentar colocá-lo em um ambiente pequeno porque vai atrapalhar a circulação e pode nem caber. Seja realista, meça o espaço antes de comprar qualquer item, como mesa, cama ou poltrona, e aposte em móveis planejados. Deixe sobrar espaço para circulação, ou seja, pelo menos 60 cm livres entre os móveis, segundo a arquiteta Claudia. “Os móveis têm que ser o mais simples possível. Em alguns casos, alguns dispensam até mesmo o puxador, ajudando ainda mais”, explicou. A arquiteta apostou nessas dicas para decorar a sala da foto, com móvel de MDF laqueado de pintura automotiva metálica em prata e gavetões sem puxadores. Informações: (11) 4437-1202.

3. Exagerar na quantidade de objetos

Foto: Divulgação

Tudo em excesso pode comprometer o espaço, segundo a arquiteta Claudia. “Precisa ser muito bem planejado para que não carregue o ambiente”, comentou. Portanto, moderação é a palavra de ordem. Eleja peças de destaque, que representem sua personalidade e estilo. Para quem gosta de mais detalhes, Cristiane considera que uma grande quantidade de itens pode não pesar no ambiente, desde que sejam leves, com cores suaves ou feitos de vidro. Na foto, os objetos escolhidos ganham destaque em nichos, no projeto da UMM Arquitetura. Informações: (11) 3854-5653.

4. Usar diferentes tipos de piso

Foto: Evelyn Müller / Divulgação

Muitos tipos de piso recortam os ambientes e criam a sensação de que o espaço é ainda menor. “Um mesmo piso dá mais amplitude, sem delimitação de espaço”, disse Cristiane. Na foto, empresa AH! SIM propôs piso amadeirado igual para sala, cozinha e quartos, que compôs com as cores claras e conferiu sensação de aconchego e tranquilidade. Informações: (11) 3171-1037.

5. Não apostar em móveis funcionais

Foto: Divulgação

Ocupar menos espaço sem perder a praticidade e o aconchego é a proposta ideal para decorar ambientes pequenos. E, para isso, os móveis que têm duas ou mais funções são uma boa pedida. A arquiteta Cristiane sugere opções como sofás que viram cama e bancadas escondidas dentro de armários. No ambiente da foto, as arquitetas Agnes Manso e Alice Miglorancia, do Studio SM2, retiraram as duas portas de correr e criaram um armário com painel para TV giratório, que atende à sala de estar e ao quarto. Informações: (11) 5044-5628.

6. Escolher mesa de centro que atrapalha a circulação

Foto: Bruno Cocozza / Divulgação

Por mais que goste de uma mesa de centro, se ela atrapalhar a circulação, é uma “furada”. Toda hora vão esbarrar na peça, o que pode machucar e ainda derrubar o que estiver sobre ela. Como a arquiteta Claudia alertou, o espaço de circulação deve ter, no mínimo, 60 cm. Caso contrário, a opção mais interessante pode ser uma mesa lateral. “Quando necessário, uma mesa lateral pode virar uma mesa de centro, a mesa de centro pode ficar debaixo de algum aparador também”, sugeriu a arquiteta. Na foto, o projeto idealizado pelo escritório de arquitetura Sesso & Dalanezi apostou em mesinha ao lado do sofá. Em algumas ocasiões, ela pode até ser colocada no centro para servir de apoio. Informações: (11) 3542-3380.

7. Não investir em ambientes integrados

Foto: Adriana Barbosa / Divulgação

A eliminação de paredes otimiza o espaço e confere amplitude visual. Portanto, se a estrutura permitir, integre os ambientes. A área social da foto, por exemplo, tem 19,90 m² e une sala de TV e cozinha. A arquiteta Claudia apostou em cinza como o tom predominante e o móvel amarelo delimita a área da cozinha e acomoda os itens de lavanderia, como balde e vassoura.

8. Não apostar em espelhos

Foto: Bruno Cocozza / Divulgação

Espelhos conferem aspecto maior aos ambientes. Portanto, abrir mão deles em um apartamento pequeno pode ser um erro. “Mas é preciso que o espelho seja inteiro, não adianta colocar um monte de quadros com espelhos, pois só criarão uma confusão visual”, alertou a arquiteta Cristiane. “Para escolher um lugar, é importante que a parede oposta tenha o que se quer destacar”, acrescentou Claudia. A suíte do estúdio de 37 m² da foto, que é integrada à cozinha e à sala de jantar e conta com uma TV giratória, recebeu espelho grande na parede da cama para ampliar o espaço. A proposta é do escritório de arquitetura Sesso & Dalanezi

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade