Torreón

Siga a marca:

Hotel oferece conforto e infraestrutura no deserto mexicano

0comentários
07h00 atualizado às 07h00
Publicidade
Com suas suítes espaçosas, o Marriott local oferece tudo o que um executivo precisa para fazer negócios em Torreón
Com suas suítes espaçosas, o Marriott local oferece tudo o que um executivo precisa para fazer negócios em Torreón
Foto: Divulgação

A paisagem é árida, o clima é desértico e o calor é sufocante. À primeira vista, não faria sentido um destino tão inóspito ser um destino turístico, mas a cidade de Torreón, no norte do México, tem recebido cada vez mais visitantes nos últimos anos.

Acontece que o município, um dos maiores do estado de Coahuila, é um dos principais polos industriais do país, o que tem atraído um tipo muito especial de visitante: executivos que chegam à região para tratar de negócios. E para esses viajantes o Torreón Marriott Hotel oferece o maior business center da cidade, com quatro salas privativas, auditório com capacidade para 80 pessoas, computadores e internet de alta velocidade em todas as dependências do hotel. O estabelecimento também conta com serviços de cópias, fax e assistência para a organização de eventos. 

Além da estrutura corporativa, o hotel também conta com sala de ginástica, piscina, bar, cafeteria e serviço 24 horas nos 93 quartos padrão, duas suítes master, duas suítes junior e uma suíte presidencial. Todas essas acomodações garantem o conforto aos homens de negócios que viajam à região, conhecida por suas tradicionais metalúrgicas.

Torreón: uma noite com infinitas possibilidades de diversão:

Mas não são só as fábricas tradicionais que fazem da região um importante polo econômico. Nos últimos anos, a proximidade da fronteira com os Estados Unidos fez de Torreón um dos pontos privilegiados para a instalação de “maquiladoras” – pequenas indústrias que funcionam com máquinas e matérias-primas estrangeiras, e apenas fazem o trabalho pesado de costurar ou montar produtos que mais tarde são enviados para os países de origem dos grupos empresariais. Nada mais normal, portanto, que o número de executivos de outros países esteja aumentando na região.

Fonte: PrimaPagina Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade