PUBLICIDADE

Torreón

Confira dicas para enfrentar o clima desértico de Torreón

ver comentários
Publicidade
É preciso estar atento aos índices de umidade e qualidade do ar em Torreón, e se hidratar constantemente quando as condições estiverem inóspitas
É preciso estar atento aos índices de umidade e qualidade do ar em Torreón, e se hidratar constantemente quando as condições estiverem inóspitas
Foto: Vinogradov Illya/Shutterstock

Baixa umidade do ar, chuvas escassas ao longo do ano e temperaturas que podem variar do forte calor, durante o dia, ao frio intenso ao anoitecer. Não, não estamos falando de nenhum deserto situado em um ambiente remoto do globo, mas sim do clima encontrado na cidade mexicana de Torreón, que inspira alguns cuidados com a saúde.

A média anual de precipitação da cidade fica entre 100 e 300 mm, com as chuvas se concentrando entre abril e outubro. É um índice preocupante, afinal localidades que registram menos de 200 mm de precipitação já são consideradas desérticas. A temperatura, por sua vez, costuma variar entre 0 e 40 graus, podendo, inclusive, nevar. A última vez em que isso aconteceu foi em dezembro de 2004.

As pessoas que mais podem sofrer com as condições climáticas áridas encontradas em Torreón são aquelas que já contam com algum tipo de problema respiratório. Por isso, o primeiro passo ao chegar na cidade é manter-se informado sobre a umidade relativa e a qualidade do ar local.

Torreón: uma noite com infinitas possibilidades de diversão:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera alarmante um índice de umidade abaixo do patamar de 30%. Nestes casos, é importante manter-se bem hidratado ao longo do dia. Isso pode ser feito ingerindo água constantemente ou sucos naturais. Comer frutas como abacaxi, melão e melancia também ajuda a enfrentar as condições inóspitas do clima.

Em virtude das grandes variações de temperatura em um mesmo dia, é importante levar tanto roupas leves, para não sofrer com o Sol, quanto pesadas, para não passar frio à noite. Mas não é só isso: as mudanças bruscas também provocam um fenômeno conhecido como ilha de calor – quando uma concentração de construções de concreto faz com que a cidade retenha mais calor que seus arredores –, que dificulta a dispersão de gases tóxicos na atmosfera. Com isso, a garganta pode ficar seca e os olhos e narinas, ardidos. Em casos extremos, pode-se usar soro fisiológico para hidratar as narinas e os olhos.

Outra boa dica é deixar um recipiente com água ou um pano molhado no quarto antes de dormir, para umidificar o ambiente e ajudar a ter um sono mais tranquilo.

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade