PUBLICIDADE

buenos Aires

Carnaval argentino se inspira na tradição europeia

ver comentários
Publicidade

O Brasil não é o único país que comemora o Carnaval na América do Sul. As ruas de Buenos Aires também ganham um colorido especial nessa época, mas a festa dos portenhos é diferente.

A festa em Buenos Aires é comandada pelas murgas, grupos que costumam se apresentar em palcos, em vez de desfilar pelas ruas da cidade
A festa em Buenos Aires é comandada pelas murgas, grupos que costumam se apresentar em palcos, em vez de desfilar pelas ruas da cidade
Foto: Governo da cidade de Buenos Aires/Creative Commons

Esqueça os grandes desfiles com carros alegóricos, samba e mulheres seminuas. A folia na Argentina é mais próxima da tradição europeia, e os homens e mulheres se vestem com fantasias inspiradas nos personagens do teatro popular italiano, como o Pierrô e a Colombina. Esses foliões se reúnem nas chamadas murgas, grupos formados em cada bairro que desfilam ou se apresentam ao som de bandas de percussão  

As origens do Carnaval argentino remontam ao século 17, quando os colonizadores espanhóis começaram a introduzir na América a festa trazida da Europa, que ganhou características próprias graças às influências dos escravos africanos. A partir de 1771, os festejos passaram a ser organizados em bailes fechados, inicialmente em mansões particulares, e depois em clubes abertos ao público em geral.

As primeiras murgas surgiriam apenas em 1915. Com o tempo, elas foram se caracterizando pela presença de percussionistas, bailarinas e malabaristas. Outra diferença fundamental é que, enquanto no Brasil predominam as fantasias minimalistas, na Argentina as pessoas usam roupas que cobrem o corpo quase inteiro.

As murgas de Buenos Aires se diferenciam dos demais grupos do gênero de outras partes da Argentina por causa dos ritmos e arranjos utilizados, e também por contar com danças bem características, que utilizam saltos e contorcionismos que demandam grande destreza dos foliões. Além disso, as apresentações costumam acontecer em locais fixos, como palcos, em vez de as pessoas saírem desfilando pelas ruas.

Hoje existem mais de 180 murgas na capital, e cada uma tem um laço muito forte com os bairros onde nasceram, por isso geralmente homenageiam a região em seus nomes. Entre as murgas mais famosas estão “Los Cornetas de Boedo”, do bairro do Boedo, “Los Mismos de Siempre de la Paternal”, “Los Reyes del Movimiento de Saavedra”, e “Los Amantes de La Boca”, do bairro de La Boca. Esta última era considerada uma das melhores, por conta de sua mistura de ritmos, mas foi extinta por problemas de dinheiro entre seus diretores.

O evento de Carnaval mais famoso da Argentina, no entanto, não é realizado em Buenos Aires, mas sim na cidade de Gualeguaychú, que fica a 210 km da capital. O local conta até com um “corsódromo”, onde são realizados desfiles (chamados de corsos) a fantasia semelhantes aos do Rio de Janeiro. Neste ano, os desfiles ocorrem todos os sábados, de 5 de janeiro a 2 de março, a partir das 22h.

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade