Turismo

publicidade

Trave a língua com nomes impronunciáveis de cidades

Trave a língua com nomes impronunciáveis de cidades
Foto: Bjarki Sigursveinsson, Florian Tirk, Greg McLachlan / Divulgação
 

São lugares banais, sem qualquer destaque especial. Exceto pelo nome, que para a maioria das pessoas é impossível de pronunciar, e criam inusitados trava-línguas. Uma pequena cidade de cerca de 3 mil habitantes do País de Gales tem o nome mais longo e complicado do planeta: nada menos que 58 letras! Trata-se de Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch, chamada, para economizar tempo e fôlego, de Llanfair. O nome pouco comum significa "Igreja de Santa Maria no fundo do aveleiro branco perto de um redemoinho rápido e da Igreja de São Tisílio da gruta vermelha". Llanfair fica na tranquila ilha de Anglesey, ligada à na ponta norte de Gales por uma ponte. Anglesey é frequentada por turistas que, além de tirar fotos com a placa do nome de cidade mais longo do mundo, aproveitam suas praias durante o verão, praticam esportes aquáticos e fazem trilhas.

A Islândia tem uma longa tradição em nomes para lá de complicados. Em 2010, jornalistas do mundo inteiro gaguejaram e enrolaram as línguas quando o vulcão Eyjafjallajökull impediu a saída de milhares de vôos na Europa inteira. Em meio às belezas naturais da Islândia, partindo da capital, Reykjavik, e percorrendo geleiras, vulcões gêiseres e avistando auroras boreais, turistas dão de cara com nomes tão desafiadores quanto o do vilarejo de Kirkjubæjarklaustur, com 160 habitantes. Kirkjubæjarklaustur é um dos poucos lugares habitados do sul da ilha e fica próximo ao parque nacional de Skaftafell, o segundo maior da Islândia.

Na Europa do leste, vários países também complicam muito a vida de seus turistas. Hungria, com nomes como o da cidadede Szigetszentmiklós, ao sul de Budapeste, na Ilha de Csepel, sobre o Danúbio. A Polônia, terra de Copérnico e Chopin, com bela arquitetura e muitos museus em sua capital, Varsóvia, tem também nomes difíceis de pronunciar. Por exemplo, a pequena cidade de Szczebrzeszyn, no sudeste do país, ou a bela cidade de Bydgoszcz, no norte, sobre os rios Brda e Vitula.

A dificuldade da língua holandesa foi além de suas fronteiras. Não bastassem as cidades com nomes nada singelos como Gasselterboerveenschemond, no norte do país, a Holanda deixou como herança aos nossos vizinhos do Suriname nomes como o de Onafhankelijkheidsplein, uma das principais praças da capital, Paramaribo.

Nomes da Ásia e Oceania também podem surpreender os turistas. No sul da ilha norte da Nova Zelanda, uma colina leva o nome de Taumatawhakatangihangakoauauotamateaturipukakapikimaungahoronukupokaiwhenuakitanatahu, um dos mais longos do mundo, e chamada, mais simplesmente, de Taumata. A imensidão da Índia, por sua vez, se aplica também muitas vezes aos nomes de suas tem cidades como Thiruvananthapuram, no estado de Kerala; Jammalamadugu, no leste do país ou o distrito de Ramachandrapuram. Os nomes japoneses costumam ser mais familiares para ouvidos brasileiros, mas, ainda assim, cidades com nomes como Shikokuchūō, Ichikikushikino ou Higashikagawa não deixam de ser bem complicadas.

Mas, para verdadeiros viajantes, não é a dificuldade de um nome que vai virar um empecilho. Nestas horas, como na maioria dos perrengues numa viagem, o melhor é manter o sorriso e guardar uma boa lembrança.

Andrés Bruzzone Comunicação