PUBLICIDADE

Reserva da Jaqueira reúne cultura e tradições dos Pataxós

Índios da Reserva da Jaqueira lutam para preservar as tradições indígenas e para transferir a cultura para as gerações futuras

18 jan 2016 12h34
| atualizado às 12h52
ver comentários
Publicidade

Se você está em Porto Seguro, na Bahia, e pretende estender a viagem para além dos limites do mar e do axé oferecido pelas barracas, e, além disso, curte fazer ecoturismo, vai se encantar com a Reserva da Jaqueira, onde reside uma tribo Pataxó composta por quase 100 índios.

Siga Terra Estilo no Twitter

A visita é uma oportunidade de conhecer um pouco da trajetória da etnia, seus costumes e hábitos. A trilha é guiada e tem paradas estratégicas, como na oca do pajé, que exibe, orgulhoso, os remédios feitos com ervas e plantas medicinais.

O pajé local cura as enfermidades mais simples com plantas e ervas medicinais
O pajé local cura as enfermidades mais simples com plantas e ervas medicinais
Foto: Danielle Barg / Terra

Destaque também para a escolinha da tribo. Para manter as tradições, as crianças aprendem o idioma local, o Patxohã, e, na hora do recreio, praticam arco e flecha, tiro de lança e carregamento de tronco. Este último é um treinamento para o rito do casamento, quando o noivo, para provar que é capaz de casar com sua amada, precisa carregar um tronco no peso equivalente ao dela.

Apesar da luta diária por manter as raízes, a tribo não nega algumas facilidades comuns ao “homem branco”. Os índios mais velhos são mais conservadores, mas, entre os mais novos, muitos dormem em camas normais (ao invés de redes ou esteiras), têm televisão, Facebook e Whatsapp. 

A lojinha de artesanato existe, mas é apresentada ao final do passeio. Tem brincos, colares, pulseiras, artigos para casa feitos em gamela, entre outros. O tour custa R$ 40 por pessoa, sendo que crianças e idosos pagam meia entrada. 

Em Porto Seguro, Reserva da Jaqueira é opção de ecoturismo:
Índia Nitinawã posa diante do artesanato local
Índia Nitinawã posa diante do artesanato local
Foto: Danielle Barg / Terra

Apesar de ser, obviamente, uma atividade com fins lucrativos, o passeio tem mais de cultura do que de consumismo. Ao final do trajeto, outra surpresa agradável: os visitantes podem fazer a degustação de um peixe preparado na brasa pelas índias. Ele é feito na folha de taioba e temperado apenas com sal. E, se você tiver a sorte de fazer a trilha com um índio mais desinibido, pode até descolar uma selfie. Que tal?

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade