Rafael Nadal conta suas preferências em viagens e hotéis

  • separator
  • 0
  • comentários

Viajando o ano todo pelas quadras ao redor do mundo, o campeão do tênis Rafael Nadal sabe bem como aproveitar a vida fora de casa. Ao site da emissora CNN, o ex-número 1 das quadras falou algumas das dicas que adquiriu ao longo de suas viagens do seu circuito profissional, iniciado quando ele tinha apenas 15 anos de idade. Confira.

<p>Nadal viaja desde os 15 anos a trabalho e, para ele, vista para o mar é um dos pontos fundamentais em uma hospedagem</p>
Nadal viaja desde os 15 anos a trabalho e, para ele, vista para o mar é um dos pontos fundamentais em uma hospedagem
Foto: Getty Images

Vida de viajante
“Eu comecei a viajar aos 15 anos, então para mim isso é normal. Em alguns dias, você está cansado e sente ‘eu gostaria de ficar em casa um pouco mais’, mas isso é só por um momento. Mais tarde, quando estou em lugares diferentes, normalmente me sinto muito bem, feliz e empolgado”.

Família e amigos por perto
“Eu normalmente tenho um grupo de pessoas boas ao meu redor e isso ajuda muito. Estar com as pessoas que você se sente confortável. Quando você viaja ao redor do mundo e visita o mesmo lugar todo ano, então você (eventualmente) sente um pouco em casa na maioria dos lugares.

Quarto perfeito de hotel
“É importante ter um bom espaço no quarto, especialmente para mim porque normalmente eu tenho muitas coisas. Preciso de espaço para uma mesa de massagem. Eu gosto de sentir que tudo está completamente limpo. É importante sentir que a cama é boa.”

Sociedade em um hotel de luxo no México
“Eu também venho de uma ilha, de Mallorca, então eu sei quais coisas eu realmente tento encontrar quando visito um lugar. As vistas de um hotel para a praia e para o mar é algo muito importante para mim. Em toda a minha vida vivi em frente ao mar e sempre tentei encontrar a melhor vista, para ter a chance de vê-lo de qualquer lugar.

Quando você está em um hotel em frente do mar, deve tentar relaxar. Aqui (no Secrets Aura Resort, na ilha de Cozumel, da qual é sócio), é bom na minha opinião porque mesmo que o hotel estiver 100% cheio, você não sente isso."

Bagagens
“Isso depende de quanto tempo irei viajar, mas dessa vez, para quase dois meses, eu viajei com três malas. Normalmente eu levo de cinco a sete raquetes. Em uma bolsa de tênis eu sempre coloco meias e outras coisas sem as quais não posso jogar”.

No ar
“Se o avião se mexe, por alguma turbulência, sou um viajante nervoso. Minhas mãos começam a suar e para relaxar tenho que ouvir música e tentar assistir alguns filmes." 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade