Com lojas e jardim, Versalhes inaugura espaço dedicado aos aromas em Paris

25 jun 2013
12h51
atualizado às 12h51
  • separator
  • 0
  • comentários

Se você gosta de perfume e pretende visitar o Palácio de Versalhes, caso esteja em Paris, não pode deixar de conhecer o recém-inaugurado espaço chamado Cour des Senteurs (algo como Pátio dos Aromas), aberto oficialmente em abril deste ano, mas liberado ao público apenas a partir de 17 de maio. Fica a 100 metros à esquerda da entrada do famoso castelo dos reis Luis XIV, Luis XV, Luis XVI e de sua esposa Maria Antonieta.

Pois bem, a Prefeitura de Versalhes resolveu valorizar sua fama: de ser um lugar emblemático da perfumaria francesa, por conta da Corte e toda sua história de uso de perfumes, de seus jardins e pomares, e por ser sede do Instituto Superior e Internacional de Perfume, uma das mais reconhecidas escolas de perfumaria do mundo. Criou então esse espaço que abriga quatro lojas de marcas tradicionais e luxuosas francesas, um jardim imenso e um lugar onde se conta toda a história do perfume.

Trata-se de uma passagem por onde se chega a um pátio que abriga as lojas recém-construídas no estilo francês, com uma praça no meio. E se caminhar um pouco mais, chega-se ao jardim com mais de 200 espécies plantadas, com saída para o “quartier” Saint Louis, o mais antigo de Versalhes.

Marcas
Estão lá a Guerlain, que existe desde 1828; a Diptyque, loja de velas criada em 1961; a pâtisserie LeNôtre, que abriu a primeira confeitaria em Paris em 1957; e a Maison Fabre, casa de luvas inaugurada em 1924. Cada marca criou um produto específico para o espaço, todos ligados principalmente à flor preferida de Maria Antonieta: o jasmim. Rosas e menta também estão no cardápio perfumado do local. Não faltam ainda referências a Luís XIV, o Rei Sol.

História
Logo na entrada da Cour des Senteurs, à direita, fica a Maison des Parfums, um espaço com quadros, ilustrações, peças publicitárias, fotografias e textos que contam a história do perfume, além de explicações sobre as principais matérias-primas usadas nos principais perfumes conhecidos. Por meio de vaporizadores, é possível sentir o aroma de várias dessas flores e frutas e outras matérias-primas. Basta apertar o botão correspondente em cada vaporizador instalado na “maison”.

Guerlain
Entrar na loja da Guerlain, dividida em três espaços, é uma experiência única para quem ama perfumes e produtos de beleza. A luxuosa grife francesa de perfumes, fundada em 1828 por Pierre François Pascoal Guerlain, já foi a perfumaria oficial de rainhas e imperatrizes, como Eugênia, mulher de Napoleão III, além da Rainha Vitória, da Inglaterra, e Rainha Isabella II, da Espanha.

<p><span style="font-family: Arial, sans-serif;">O frasco no novo perfume da Guerlain faz referência ao vidro da fragrância criada em 1853, a pedido de Napoleão III para sua esposa Eugenia. Abelhas, o símbolo do imperador, aparecem e relevo</span></p>
O frasco no novo perfume da Guerlain faz referência ao vidro da fragrância criada em 1853, a pedido de Napoleão III para sua esposa Eugenia. Abelhas, o símbolo do imperador, aparecem e relevo
Foto: Rosângela Espinossi/Especial para o Terra

No espaço da Guerlain, decorado com madeira em relevos com desenhos de elementos presentes nos perfumes (jasmim, rosa, íris, frutas etc.), estão praticamente todos os perfumes já criados pela marca, como o Shalimar, de 1925, primeira fragrância com notas orientais, o L’Heure Bleue, que em 2012 fez 100 anos e recebeu uma edição especial com um joia no frasco, que sai por “módicos” 11 mil euros.

Mas a estrela é o perfume criado especialmente para o espaço, vendido só lá e que se chama exatamente Cour des Senteurs – Versailles, ao preço de 220 euros o frasco de 125 ml. A fragrância tem notas de bergamota, em homenagem ao pomar dos reis, que fica ao lado, e jasmim, flor preferida de Maria Antonieta.

O frasco remete à história da marca e faz referência à “Eau de Cologne Imperial”, ou Colônia Imperial, criado em 1853 em homenagem à Imperatriz Eugênia a pedido do próprio Napoleão. O vidro – o original está exposto lá – tem abelhas em relevo, símbolo do imperador francês. Na nova fragrância de Versalhes, o frasco é parecido na forma e tem as abelinhas, mas ganha uma fita vermelha e a estampa na etiqueta frontal em referência a Luis XIV.

Velas
Outra marca francesa que remete ao luxo é a de velas Diptyque, que também criou um trio que pode ser comprado num pacote com as três unidades juntas (66 euros) ou separadamente (22 euros). O pacote só será vendido lá, embalado num papel que faz remissão aos jardins e às flores do famoso Jardim de Versalhes. Os aromas das velas são jasmim, rosa e menta, que também eram apreciados por Maria Antonieta.

Luvas
Ao lado da Diptyque, está a tradicional Maison Fabre, que criou para o espaço uma luva perfumada, a primeira de sua história. O novo produto é bege de um lado e preto de outro, chamada Gants Medicis (luvas Medicis). Em setembro, serão lançados o talco perfumado para luvas (que não deixa a mão branca como talco normal) e o modelo em outras cores. As curtas custam 190 euros e as longas, 290 euros.

Em várias cores, está também a luva Grace Kelly, batizada assim após encomenda da princesa de Mônaco. O modelo comprido poderá ser visto nos braços de Nicole Kidman, em Grace of Monaco, filme que deve estrear em dezembro. Foram encomendadas 22 luvas para a produção.

Macaron
A famosa pâtisserie LeNôtre, criada por Gaston Lenôtre, apenas por coincidência o mesmo nome do jardineiro oficial de Versalhes (André Le Nôtre, que nasceu em 1613 e que recebe atualmente várias homenagens pelos 400 anos de nascimento), lançou um delicioso macaron com recheio sabor de jasmim e cobertura dourada. Vale a pena experimentar a iguaria, ao preço de 1,35 euro.

O espaço do LeNôtre é uma boa pedida para quem já andou pelo enorme castelo da Corte francesa e quer dar uma pausa para descanso. Oferece sanduíches, saladas e alguns pratos prontos, já em embalagens individuais, além dos deliciosos doces, chocolates e outros macarons. Se quiser os menus completos, pode escolher, por exemplo, o Déjeuner Senteurs, por 13,50 euros, com um sanduíche, uma quiche ou uma salada, além de uma sobremesa e um suco. Um lanche apenas sai a partir de 6,30 euros. 

Jardim
É possível comer lá dentro ou no espaço externo, que dá para uma área com flores, folhagens e paredes de madeira, com inscrições que mostram curiosidades sobre perfumes e caixas de vidros com pétalas das principais flores que compõem os perfumes, como a rosa presente no Chanel nº 5.

Depois de lá, chega-se ao enorme jardim de 3,6 mil quadrados, com mais de 200 espécies de plantas. O projeto é do arquiteto paisagista Nicolas Gilsoul e ainda não está totalmente florido, porque a primavera deste ano foi atípica, com muitos dias de frio, assim como está sendo o verão de Paris. É um bom lugar para um piquenique, hábito comum dos franceses.

“Quartier” histórico
A partir dele, alcança-se o “quartier” Saint-Louis, que fica entre o Palácio de Versalhes e o Potager du Roi (algo como pomar do rei), também aberto a visitação paga (4,50 euros na semana – fechado às segundas - e 6,50 euros nos fins de semana e feriados) e que abriga o que era o pomar e a horta do rei e a Escola Superior de Paisagismo.

No coração do “quartier” fica ainda a Salle de Jeu de Paume, onde em 20 de junho de 1789 os deputados se reuniram em assembleia e prometeram não sair de lá enquanto não ficasse pronta uma Constituição para a França. Era o começo da Revolução Francesa. Só lembrando que Jeu de Paume era um jogo que antecedeu o tênis e era jogado em salas fechadas, por toda a Corte.

Pela história, pelos novos produtos lançados, pelo cardápio de aromas oferecidos  e até para um merecido descanso, vale dar uma passadinha na Cour des Senteurs, que fica a 5 minutos da estação de trem de Versalhes. Tem ainda um trenzinho que sai por 2 euros para quem não quiser caminhar.

Serviço
Cour des Senteurs
Rua de la Chancellerie, 8, ao lado da Place d’Armes
Horários
Lojas: de terça a domingo, das 10h às 19h 
Jardins: todos os dias, entre as 8h30 e 21h. Acesso livre
Como chegar
A forma mais prática de ir a Versalhes é pegar a linha C do RER (trem) no sentido Versailles Rive Gauche , bem central, que custa 6,70 euros ida e volta. Fica a 5 minutos a pé do castelo. A linha SNCF também oferece ida à cidade. A linha Versailles Rive Droite, que fica a 10 ou 15 minutos a pé do castelo, sai da Estação Saint Lazare (8,20 ida e volta). A linha Versailles Chantier, também 10 a 15 minutos a pé, sai da estação Montparnasse (6,70 ida e volta). Essa última demora uns 15 minutos para chegar até a cidade de Versailles. As demais, entre 25 e 30 minutos.

&amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/esoterico/infograficos/perfumes-signos/iframe.htm&amp;amp;amp;amp;quot; href=&amp;amp;amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/esoterico/infograficos/perfumes-signos/iframe.htm&amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;gt;veja o infogr&amp;amp;amp;amp;aacute;fico&amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;gt;
Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade