0

Caribe

Trilha em vulcão é ponto turístico de St. Eustatius

27 dez 2012
07h16
  • separator
  • comentários

Carinhosamente chamada de Statia, a ilha holandesa de Sint Eustatius tem o relevo bastante acidentado, marcado por colinas, especialmente na região norte. Em 21 km² de área estão cinco vulcões extintos - ou seja, pouco prováveis que entrem em erupção novamente e mais um dormente. Batizado de Quill, o sexto vulcão serve de atrativo turístico popular no destino com população de quatro mil habitantes.

Ilha holandesa com relevo acidentado tem seis vulcões, cinco extintos e um dormente
Ilha holandesa com relevo acidentado tem seis vulcões, cinco extintos e um dormente
Foto: Shutterstock

Com 602 metros de altura, Quill - do holandês kuil, que significa buraco - pode entrar em atividade, mesmo estando há anos sem explosão. Localizado na parte sul, está dentro do Parque Nacional, uma área com floresta tropical usada para praticar trilhas. Por lá, existem oito caminhos classificados entre os níveis fácil, moderado e difícil.

Em meio às rochas, na caminhada até o cume, é comum se deparar com sapos, aranhas, iguanas, borboletas e pássaros exóticos. Samambaias, begônias, orquídeas e bromélias deixam o caminho ainda mais bonito e servem de inspiração para fotografias.

Contudo, antes de iniciar o trajeto com ou sem guia, é preciso reservar o acesso turístico. A STENAPA, organização sem fins lucrativos responsável pelo gerenciamento dos parques nacionais, pede pelo menos três dias de antecedência. Cada pessoa paga 15 dólares (moeda oficial), aproximadamente R$ 30, para entrar no parque.

Emblemáticos para o turismo nacional, os vulcões também fomentam o mergulho praticado em fissuras vulcânicas submarinas, o que aumenta a temperatura natural da água. Recifes de até 23 metros também foram esculpidos após as explosões do passado. Hoje, são cobertos com grande variedade de corais e esponjas, que deixam o ambiente ainda mais cinematográfico.

A ilha, que leva o nome do lendário cristão mártir São Eustáquio, foi descoberta por Cristóvão Colombo, em 1493. Sua posse foi reivindicada por diversos países, até que em 1636, a Holanda assumiu seu controle. Por isso, o holandês é a língua oficial, sendo comum também falar-se inglês e creole.

Para comer e dormir
Sem voos diretos, o brasileiro é obrigado a fazer conexões para chegar à ilha. Depois de enfrentar mais de dez horas no avião, o conforto da cama de um hotel é o maior desejo do turista. Lá, construções antigas dão charme aos refúgios de descanso.

Exemplo disso é Old Gin House, um edifício do século XVIII restaurado com jardim composto por palmeiras e trepadeiras do tipo buganvílias - popularmente conhecidas como primaveras. Ao todo, são 19 quartos com camas king size, ar condicionado e telefone direto. Diárias custam a partir de 195 dólares, aproximadamente R$ 400.

Depois das atividades turísticas, a pausa para comer é sagrada. Uma opção simples e saborosa, especialmente depois de caminhada, é o Smoke Alley Bar & Grill, pub especializado em grandes hambúrgueres, também aberto para almoços e jantares.

 

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade