África

publicidade

Vida selvagem e praias: veja o que um safári na Tanzânia oferece

Na Tanzânia é fácil se deslumbrar com os animais em vida selvagem e as lindas praias
Foto: Fabiana Bertone / Divulgação

Leões, girafas, elefantes, macacos, zebras, gazelas, leopardos... a lista segue e é longa. Todos estes bichos, em estado selvagem e a uma distância incrivelmente curta você observa de monte e em condições excepcionais num safari fotográfico nos parque nacionais da Tanzânia. O país do leste da África, de quase um milhão de quilômetros quadrados de superfície (equivalente a quatro vezes o Estado de São Paulo), mantém grande parte de seu território protegido: são parques nacionais ou reservas naturais que somente podem ser visitados sob certas condições e pagando uma taxa de ingresso de R$ 350 por carro e entre R$ 50 e R$ 80 por dia e por pessoa.

O parque nacional de Arusha, a poucos quilômetros da cidade do mesmo nome, que é o ponto de partida para os safaris, é pequeno mas interessante: girafas, zebras, flamengos e macacos convivem num espaço que pode ser percorrido em poucas horas. Um aperitivo perfeito para quem se apronta a percorrer os parques grandes: Tarangire, Serengueti e Ngorongoro. Nestes, as paisagens variam muito, e mostram o leque amplo de savana, pântanos, serra e selva. Andando pelas estradas de terra que atravessam os parques, você tem a chance de ver um leopardo caçando, uma família de algumas dúzias de macacos ou uma mamãe elefante dando de mamar ao filhote enquanto o resto do grupo devora árvores como quem come petiscos. É como se os humanos fossem transparentes, ou não existissem. Os bichos simplesmente não levam você em conta e continuam com a própria vida: comem, mata, namoram, dormem ali onde você passa - sempre no carro e respeitando as estritas regras que garantem segurança.

Os safaris são contratados com antecedência numa das muitas agências especializadas. Um 4x4 com teto que abre para permitir a observação, um guia e motorista especializado, ingressos para os parques, comida e alojamento vêm em pacotes que custam a partir de R$ 4 mil por pessoa para cinco dias de safari e três de praia em Zanzibar. É preciso levar em conta que os preços mudam muito segundo o período do ano e a quantidade de passageiros no mesmo pacote. Três dias é o tempo mínimo para ter um bom contato com a natureza, mas quem puder dedicar uma semana garante uma experiência que ficará na memória pelo resto da vida. Dorme-se em lodges, que são hotéis sem grande pretensão de conforto, mas com um charme que faz você sentir-se dentro de um filme. Muito mais ainda, quando você aproveita para curtir o pôr-do-sol bebendo um gin tônica e recebe a noite do lado de um fogo, ouvindo os leões e os elefantes nas redondezas. Há também noites em barracas muito especiais - nada do que você conhece parece com estas. Amplas e confortáveis, têm banheiro, cama e espaço bastante. Conforto e mordomia no espírito dos caçadores de outrora, aqueles que organizavam expedições atrás de elefantes, leões, búfalos, rinocerontes e leopardos - os "big five" (cinco grandes) que compõem o grande desafio para quem gosta de caçar.

Mas nem tudo animais e paisagens da savana. Tanzânia oferece também as praias perfeitas de Zanzibar, no oceano Índico, com a possibilidade de mergulhos inesquecíveis em águas consideradas das mais transparentes do planeta e uma bela infraestrutura de hotéis e restaurantes de luxo. Para os amantes de uma boa trilha, tem o monte Kilimanjaro, o mais alto da África, com o desafio de alcançar seu cume nevado numa caminhada inesquecível. A cultura massai também é fascinante: esta tribo de pastores esguios que fazem questão de preservar suas tradições, e que, com suas roupas elegantes e de cores fortes, não podem não chamar a atenção. E há o lago Victoria, as planícies do sul, as ilhas Máfia, a cidade de Ston Town... Quem gosta de aventura e de sair do óbvio tem muitos motivos para incluir este canto do mundo na sua lista de opções.

Andrés Bruzzone Comunicação