Britânicas atacadas com ácido em Zanzibar

8 ago 2013
07h31

Duas jovens britânicas foram atacadas com ácido na quarta-feira à noite em Zanzibar, a primeira agressão do tipo contra estrangeiros neste arquipélago turístico pertencente a Tanzânia, cenário há vários meses de ataques de caráter religioso.

"A polícia de Zanzibar iniciou a busca para encontrar os agressores das duas jovens de 18 anos, disse o número dois da polícia local, Mkadam Khamis.

O Foreign Office (ministério britânico das Relações Exteriores) confirmou o ataque sem divulgar mais detalhes.

De acordo com Saleh Mohamed Jidawi, funcionário do ministério de Saúde de Zanzibar, as britânicas foram feridas no peito, rosto e mãos, mas suas vidas não estão em perigo.

"Foram enviadas rapidamente a Dar es Salaam", a capital econômica de Tanzânia, completou.

As duas mulheres, voluntárias em uma escola, foram atacadas pouco antes das 20h00, quando a população neste arquipélago de maioria muçulmana celebrava o fim do Ramadã.

A agressão foi cometida por dois jovens de moto nas estreitas ruas de Stone Town, o centro histórico de Zanzibar.

Nos últimos meses, várias agressões foram registradas no arquipélago semiautônomo, mas nunca contra estrangeiros. Em novembro de 2012, um imã foi atacado com ácido. Um mês depois, um padre católico foi ferido a tiros e outro foi assassinado em fevereiro.

Os incidentes, assim como os crimes na parte continental de Tanzânia, provocaram tensões religiosas no país, que tem 35% de muçulmanos e de 30 a 45% de cristãos.

A economia de Zanzibar, arquipélago com 1,2 milhão de habitantes, depende em grande parte dos turistas estrangeiros.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade