3 eventos ao vivo
Sul

Colheita noturna ao som de Beatles deve atrair 700 pessoas à vinícola

  • separator
  • comentários

A fachada é modesta para tudo o que se esconde atrás do muro. A cerca de 15 minutos de carro do centro de Bento Gonçalves (RS) está a vinícola Lovara. Parte de um grupo de mais de 30 vinícolas do Vale dos Vinhedos, ela não é a mais antiga ou a maior, no entanto, traz uma proposta diferente: proporcionar um dia como enólogo ao turista, com direito a “aula”, colheita de uvas e show ao vivo.

Docinhas, as uvas cabernet podem ser levadas para casa
Docinhas, as uvas cabernet podem ser levadas para casa
Foto: Thaís Sabino / Terra

O passeio, que custa R$ 35 (adulto) e R$ 10 (crianças), começa com um brinde com vinho espumante rose feito da uva grenache, na entrada da vinícola, servidos em taças com uvas verdes ao fundo para deixar o sabor adocicado. A ideia de mostrar a rotina dos enólogos, além da usual degustação de vinhos, surgiu no ano passado, quando 592 pessoas fizeram o tour. De acordo com informações do departamento de marketing da vinícola, a expectativa é que 700 pessoas vivam esta experiência este ano, com base nas reservas.  O conselho é correr para se inscrever, já que as colheitas ocorrem apenas entre fevereiro e março, às quartas e sábados.

Aos 21 anos, Roberta Benedetti é a enóloga responsável pela vinícola criada por seu bisavô. “O nome Lovara é em homenagem a uma comuna na Itália”, contou a jovem. É ela quem convida os visitantes para a aula sobre degustação e harmonização. O primeiro vinho servido é o branco Chardonnay, de 2011, já assinado pela enóloga. “É um varietal (vinho elaborado com apenas um tipo de uva), fácil de tomar, bem fresco”, analisou Roberta.

Segundo ela, a bebida, que tem 13% de álcool, não passa por barril de carvalho, o que ajuda a conservar o aroma de frutas frescas, como de maçã e pera. Um pouco ácido, ela sugeriu a harmonização com tomate cereja, também ácido. “A harmonização pode ser feita de duas formas: por contrates ou semelhança, como fizemos”, explicou. O preço sugerido da garrafa é R$ 20.

O segundo vinho servido é o Cabernet Sauvignon, de 2011. “Ele é 100% cabernet, por isso essa cor intensa e as lágrimas (gotículas que escorrem na taça) bonitas”, contou Roberta sobre seu primeiro projeto. Mais ácido e encorpado que o primeiro, o vinho não passa por barris de carvalho e tem aroma de frutas. Para quebrar a acidez, a harmonização sugerida foi com queijos picadinhos, por contraste. A garrafa custa R$ 20.

“Menina dos olhos” da vinícola, o Gran Lovara de 2008 é uma mistura de uvas: 65% merlot, 25% cabernet e 10% tannat. Ele fica um ano em barris de carvalho, 50% em americanos e a outra metade do tempo em franceses. É o mais encorpado da casa e, por isso, Roberta ensinou que pode ser harmonizado com comidas mais pesadas, no caso, quiche de bacon. O vinho tem aromas de baunilha, canela, cravo e coco. O preço sugerido da garrafa é de R$ 45.

O tour ainda oferece os espumantes Moscatel e Rose de Noir em taças mais estreitas para manter “as borbulhas”, com sorvete ao vinho. Quando começa a anoitecer, chega a melhor parte do passeio: a colheita noturna de uvas. À beira de um lago e em frente às plantações, são montadas mesas com drinques de picolé ao vinho, queijos, frutas, pães e molhos; pufes para descansar e um espaço para a banda que toca de Legião Urbana a Beatles, enquanto os convidados colocam a mão na massa.

Para compor o clima romântico do vinhedo, a festa é iluminada à luz de velas, usadas para encontrar os cachos prontos para serem colhidos. Docinhas, as uvas cabernet podem ser levadas para casa, mas só vale colher as que estão com o galhinho marrom. Para finalizar o passeio, um visitante é convidado a fazer a sabragem, o ato de abrir um vinho com um sabre afiado.

A colheita noturna é uma parceria entre a vinícola Lovara e o hotel Dall'Onder, e as reservas devem ser feitas no próprio hotel.

Vale dos Vinhedos
O Vale dos Vinhedos representa o legado deixado pelos imigrantes italianos, chegados ao Brasil em 1875. Na Serra Gaúcha, o local foi escolhido para o cultivo de videiras, com base na topografia e clima ideais. A charmosa cidade Bento Gonçalves abriga parte do vale, onde diversas vinícolas produzem vinhos  e produtos derivados da uva.

Serviços:
Vinícola Lovara
Rua José Benedetti, 222 – Bento Gonçalves (RS)
Às quartas e sábados, após as 18h30, entre fevereiro e março. É preciso fazer reserva com antecedência
Preço: R$ 35 (adulto) e R$ 10 (criança)
Inclui transfer de ida e volta ao hotel

Hotel Dall'Onder
Central de reservas: 0300-147-3000

O Terra viajou à região a convite do hotel Dall’Onder.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade