Esotérico

publicidade
10 de fevereiro de 2010 • 08h08

Descubra os sinais para reconhecer sua alma gêmea

Confiança é uma virtude que deve ser respeitada no relacionamento
Foto: Getty Images

O amor é o objetivo mais importante em diferentes grupos etários e sociedades. A presença dele é o fator essencial para avaliar se as pessoas que se julgam apaixonadas devem casar ou não. Platão e outros filósofos gregos levavam tão a sério o tema que consideravam o amor como um deus: "De todos os deuses, o amor é o mais augusto, o mais capaz de tornar o homem virtuoso e feliz durante a vida. Eros deve ser elogiado e louvado como um deus merece".

Alguns se dizem cansados das armadilhas que ocorrem nos relacionamentos e perguntam se existe realmente o amor. Claro que sim, faz parte da natureza humana, independentemente da nossa opinião. Também não está vinculado aos modismos da sociedade ou tampouco é fruto de um artefato construído pelos homens.

Muitos não aprenderam na infância a valorizar o que é sagrado. Assim, nada merece ser reverenciado e honrado e, ao crescer, tudo fica reduzido à conquista, onde se almeja apenas a posse física através do sexo.

Os seres humanos encaram o sexo como forma de conquista, especialmente nesta época do ano, o que impede um vínculo de uma intimidade mais profunda. Por isso, fica no ar aquela sensação de traição a todo instante, de modo imaginário, e em muitos casos, real.

O relacionamento de almas gêmeas não enfatiza apenas a sexualidade, mas a coloca em um segundo momento, pois o sexo também é muito importante.

Enquanto existir essa tendência de sexualizar os relacionamentos, o amor ficará superficial. O correto seria espiritualizar a relação para que a essência seja inesgotável, pois ele desperta o que existe de melhor em nós.

Quais são os componentes para saber se estou namorando minha alma gêmea?

1) Afinidade: consiste em diálogo, intercâmbio de ideias, dúvidas expostas e discutidas, semelhança no modo de pensar, segredos e angústias mutuamente compartilhados.

2) Confiança: quando ambos cumprem o que prometem, não mentem e são os mesmos fora da relação. É uma virtude que deve ser respeitada.

3) Conhecimento: o casal diz aos amigos "tenho certeza que conheço com quem convivo".

4) Humildade (inclui generosidade e paz): usam o tempo - que é tão precioso ¿ para ouvir o que o outro tem a dizer. Pacificar uma relação amorosa diante de um conflito é um ato sublime; isto é ter humildade, o grande trunfo para manter em paz a união.

5) Sabedoria: a protetora do amor. É a indicadora do bom senso, da prudência e da arte de viver bem. Capaz de assegurar a felicidade e, por isso, é chamada de "fonte da vida".

Quer saber mais sobre o trabalho de Monica Buonfiglio, ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Especial para Terra