0

Guia facilita rotina de pai separado e com a guarda do filho

7 ago 2013
07h11
atualizado às 07h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Além da felicidade, um pai separado que acaba de ganhar a guarda de seu filho deve ter em mente, logo no início, que seu dia a dia irá mudar bastante com a chegada do rebento em casa. Devido ao aumento repentino de tarefas e funções, é normal se sentir perdido e até mesmo inseguro antes de ingressar na nova rotina.

Sem a ajuda da mãe da criança, o patriarca precisará se desdobrar no famoso papel de “pãe”, tarefa que lhe exigirá calma e bastante policiamento, principalmente quando o herdeiro estiver na faixa dos cinco anos de idade, fase recheada de muitas descobertas. Além disso, é fundamental que haja controle sobre as demandas e pressões do trabalho, que infelizmente não diminuirão por conta dos afazeres realizados dentro de casa.

Pré-escola
Para alinhar sua vida profissional com os compromissos familiares, o paizão solteiro precisará, em primeiro lugar, investir na educação de seu pequeno, matriculando-o numa pré-escola que servirá, inclusive, como uma forma de entretê-lo durante o horário comercial. “A rotina que o pai virá a ter dependerá da rotina escolar de seu filho”, ressalta Julia Milani, pedagoga especializada em Educação Infantil pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Mesmo que ainda esteja frequentando a escolinha, a criança terá atividades programadas na instituição, dando um respiro na agenda atribulada de seu progenitor e possibilitando que ele esteja preparado para cumprir tarefas diárias, como o preparo do café da manhã e colocar para dormir, e seguro para estipular os horários de lazer e de dever.  

“A garotada deve ter o dia a dia mais estruturado do que os adultos, com horário certo para acordar, comer, fazer o dever, se divertir e dormir. Por isso, os responsáveis devem ficar atentos para estar sempre a par de suas necessidades”, acrescenta a especialista.

Companhia de qualidade
Sentimento bastante comum entre os progenitores, a culpa acompanha muitos pais que não conseguem passar o tempo desejado ao lado dos filhos.  No entanto, nem sempre o tempo da companhia é o que importa na relação familiar, mas sim a qualidade da companhia. “O patriarca deve estar inteiro naquele momento que passa com o filho. Deve desligar o celular, esquecer os problemas, além de ser cuidadoso e estar presente, mesmo que por um tempo reduzido”, comenta a pedagoga.

No caso do homem que divide a guarda do filho com a ex-esposa, vale a pena tomar cuidado para que o pequeno não sofra na hora de dizer tchau para a mãe. Esse momento, apesar de triste, faz parte da realidade dos pais separados.  Por isso, a dica é deixar claro para o rebento onde ele, de fato, mora,  já que, na faixa dos cinco anos, os pequenos não costumam perceber sutilezas. 

Contratação de uma babá
Personagem importante na criação dos filhos, as babás também podem facilitar a vida dos pais separados, principalmente para a realização de tarefas mais pragmáticas do dia a dia infantil.  “Ele precisa ver quais horários e compromissos são negociáveis para poder estar na companhia do filho. Já nos momentos em que a agenda está lotada, os serviços de uma babá podem ser um grande reforço”, analisa Julia.

Vale ressaltar, também, que a criança não deve confundir a função da babá com a função de seu progenitor. É importante que os métodos de ambos sejam diferentes, de maneira que complementem um ao outro. “O responsável deve ficar de olho na relação entre o seu herdeiro e a babá. Ele deve sempre querer saber a forma como ela trabalha, assim como a opinião de seu filho sobre a companhia dela”, alerta a especialista.

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade