Fertilidade
 
 

Vida e Estilo » Fertilidade » Fertilidade

 Impotência sexual é diferente de baixa fertilidade; entenda
06 de setembro de 2012 08h06

Embora algumas pessoas possam confundir problemas de fertilidade com impotência sexual, a disfunção erétil acontece por fatores que não levam .... Foto: Dreamstime/Terra

Embora algumas pessoas possam confundir problemas de fertilidade com impotência sexual, a disfunção erétil acontece por fatores que não levam necessariamente à baixa fertilidade
Foto: Dreamstime/Terra

Algumas pessoas podem confundir problemas de fertilidade com impotência sexual. No entanto, eles são coisas distintas. A disfunção erétil acontece por fatores que não levam necessariamente à baixa fertilidade.

A disfunção erétil se caracteriza pela incapacidade de alcançar ou manter a ereção. Para que ela aconteça normalmente, é necessário o estímulo sexual, que desencadeia o mecanismo da ereção, mediado por fatores químicos, vasculares e neurológicos. Por isso, as causas para a disfunção erétil podem ter fatores variados.

Ela é mais comum a partir dos 40 anos, já que o envelhecimento, além dos hábitos de vida e doenças, pode levar a alterações da circulação sanguínea do pênis. Entre os mais jovens, é comum o fator psicológico. "Quando você aborda pacientes mais jovens, grande parte tem ansiedade de performance", conta Eugenio Augusto Costa de Souza, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia.

Outros fatores incluem hipertensão, diabetes, obesidade, efeitos colaterais de medicamentos, uso excessivo de álcool, tabagismo e consumo de drogas ilícitas, como maconha e cocaína. Há também causas anatômicas, como as deformidades penianas.

Fatores similares, problemas distintos
Muitos dos fatores que podem levar à disfunção erétil também estão relacionados a problemas de produção de espermatozoides. No entanto, isso não significa que quem tem problemas de fertilidade terá impotência sexual ou vice-versa. "Quando avalio alguém com baixa fertilidade, dificilmente ele vai ter problema de disfunção. São coisas que não se interligam", diz o médico.

Há alguns casos em que os dois problemas podem ter relação. Um deles é o caso do hipogonadismo, defeitos nos testículos que podem levar a déficit hormonal. Outro é o déficit androgênico do envelhecimento masculino (DAEM), a diminuição do nível de testosterona com o avançar da idade.

O urologista ressalta, no entanto, que são poucas as situações em que os homens procuram atendimento médico pelos dois problemas. "Os pacientes com DAEM têm mais de 50 anos de idade, então a fertilidade não é uma causa para ele procurar o médico. E não é comum que a turma mais nova procure porque está com problemas de disfunção que geram problemas de fertilidade", afirma.

Medicamentos O tratamento da disfunção erétil vai depender da causa. Ele pode envolver acompanhamento psicológico ou medicamentos, como a tadalafila, a vardenafila e o citrato de sildenafila. Esse tipo de remédio atua diretamente sobre o corpo cavernoso do pênis (tecido no interior do pênis). "As drogas injetáveis nos corpos cavernosos e as próteses penianas também têm seu lugar. Qualquer dessas opções não afetará a fertilidade", diz o médico.

Já os hormonais podem afetar a produção de espermatozoides, quando consumidos indevidamente. "É um cuidado que você deve ter para o testículo não responder e prejudicar a produção de espermatozoides. Por isso, tem que ser bem avaliado e ter acompanhamento do médico", orienta Eugenio. Usado corretamente, o tratamento pode regularizar a produção de gametas e reestabelecer a normalidade fértil do homem, caso ele apresentasse algum problema de fertilidade devido a causas hormonais.

Busca um especialista em Fertilidade? Clique aqui e confira a lista dos profissionais

Cross Content
  1. Embora algumas pessoas possam confundir problemas de fertilidade com impotência sexual, a disfunção erétil acontece por fatores que não levam necessariamente à baixa fertilidade

    Foto: Dreamstime/Terra

  2. A disfunção erétil se caracteriza pela incapacidade de alcançar ou manter a ereção. Para que ela aconteça normalmente, é necessário o estímulo sexual, que desencadeia o mecanismo da ereção, mediado por fatores químicos, vasculares e neurológicos

    Foto: Dreamstime/Terra

  3. Hipertensão, diabetes, obesidade, efeitos colaterais de medicamentos, uso excessivo de álcool, tabagismo e consumo de drogas ilícitas, como maconha e cocaína, são fatores comuns à disfunção e a problemas de fertilidade, mas não necessariamente provocam os dois

    Foto: Dreamstime/Terra

  4. Há alguns casos em que os dois problemas podem ter relação. Um deles é o caso do hipogonadismo, defeitos nos testículos que podem levar a déficit hormonal. Outro é o déficit androgênico do envelhecimento masculino (DAEM), a diminuição do nível de testosterona com o avançar da idade

    Foto: Dreamstime/Terra

  5. Medicamentos como a tadalafila, a vardenafila e o citrato de sildenafila atuam diretamente sobre o corpo cavernoso do pênis (tecido no interior do pênis) e não afetam a fertilidade. Já os hormonais podem afetar a produção de espermatozoides quando consumidos indevidamente

    Foto: Dreamstime/Terra

/fertilidade/foto/0,,00.html