Fertilidade
 
 

Vida e Estilo » Fertilidade » Fertilidade

 Pílula de uso contínuo não traz riscos à fertilidade
03 de setembro de 2012 09h25

Tratamentos com pílulas anticoncepcionais de uso continuo são cada vez mais procurados por mulheres que não querem menstruar. Foto: Shutterstock

Tratamentos com pílulas anticoncepcionais de uso continuo são cada vez mais procurados por mulheres que não querem menstruar
Foto: Shutterstock

Devido aos fortes sintomas da tensão pré-menstrual, ao desconforto e até por praticidade, cada vez mais mulheres optam por não menstruar. Para isso, são utilizadas pílulas anticoncepcionais específicas, conhecidas como pílulas de uso contínuo. Mas esse tipo de tratamento pode influenciar de alguma forma a fertilidade da mulher?

Carolina Ambrogini, ginecologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), explica que não. "Isso é um mito. Tanto a pílula contínua, como o anticoncepcional convencional não apresentam efeito acumulativo. A partir do momento que a mulher toma o último comprimido, ele age por 24 horas no organismo e depois é eliminado."

Por isso, não há relação direta entre o tempo que as mulheres demoram para engravidar após parar com a pílula e um suposto ¿efeito cumulativo¿ dos anticoncepcionais. "Essa demora está muito mais ligada ao emocional e à idade da mulher. As mulheres hoje estão engravidando cada vez mais tarde, e a idade conta muito", explica Carolina.

Como a pílula funciona
Por inibir a menstruação, a pílula de uso contínuo é indicada para pacientes que têm endometriose, cólicas intensas, fluxo menstrual muito grande ou que sofram com os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

Ela age no organismo da mesma forma que as pílulas convencionais. A diferença é que apresenta uma dosagem maior do hormônio estrogênio, e que não são efetuadas pausas entre as cartelas. "Quando a mulher faz a pausa do anticoncepcional, ela não tem uma menstruação e sim um sangramento de privação. Como essa pílula não tem pausas, ela mantém o nível hormonal estável e o sangramento não ocorre", aponta.

Carolina alerta que nem sempre o tratamento tem o resultado esperado. "Não é para todo mundo que dá certo. Algumas podem ter escape. Não funciona em 100% dos casos, vai depender da mulher", afirma.

Busca um especialista em Fertilidade? Clique aqui e confira a lista dos profissionais

Cross Content
  1. Tratamentos com pílulas anticoncepcionais de uso continuo são cada vez mais procurados por mulheres que não querem menstruar

    Foto: Shutterstock

  2. A relação entre esse tipo de tratamento e a fertilidade da mulher não passa de mito

    Foto: Shutterstock

  3. A demora para engravidar que pode ocorrer com mulheres que param de tomar a pílula está normalmente relacionada à idade e a fatores emocionais

    Foto: Shutterstock

  4. A pílula de uso contínuo é indicada para pacientes com endometriose ou que sofram com sintomas intensos na TPM

    Foto: Shutterstock

  5. A pílula de uso contínuo age da mesma forma que os anticoncepcionais convencionais. A diferença está na dosagem hormonal e na ausência de pausa

    Foto: Shutterstock

/fertilidade/foto/0,,00.html