Casa e Decoração

publicidade

Fachada da casa também pode ter cor ousada; veja 22 exemplos

A pintura vermelha foi parte de uma reforma que revitalizou este sobrado. Projeto dos arquitetos Gil Mello e Fernanda Neiva, da Galeria Arquitetos. Informações: (11) 2645 9925
Foto: Galeria Arquitetos

Escolher a tonalidade da fachada de casa é tarefa melindrosa. Não há espaço para arrependimentos, afinal nada é mais difícil do que mudar para o branco depois que as paredes já estão vermelhas, azuis, amarelas... Nem por isso é preciso ter medo de ousar. Escolher bem a tinta e fazer vários testes ajudam a chegar ao colorido dos sonhos.

Olhar a cor apenas na lata de tinta não basta. Nas paredes de fora, a forma como a luz do sol bate na casa pode fazer o tom mudar, explica o arquiteto Gil Mello, da Galeria Arquitetos, de São Paulo. Por isso, ele recomenda que o morador teste diferentes opções diretamente no local. Para evitar sujeira, é possível pintar sobre uma placa de gesso presa à parede.

Além da luz, a textura também influencia na cor. O designer de interiores Rogério Castro, também de São Paulo, escolheu um tom de vermelho escuro para sua casa de campo e aplicou a tinta diretamente sobre a massa grossa. “É uma forma de manter o estilo rústico”, comenta. Mello explica que, num caso como esse, os grãos que ficam na parede criam pequenos sombreados que mudam nossa percepção da cor. “É um recurso interessante que pode ajudar a chegar ao tom exato que o morador quer”, diz.

A maior dificuldade das paredes coloridas, porém, é a manutenção, avalia a arquiteta paulistana Claudia Vacilian Mendes Cahali. Se uma parte da parede for quebrada para algum reparo, por exemplo, será difícil aplicar tinta nova apenas num trecho e fazê-lo ficar no mesmo tom que o resto da fachada. “Nesses casos, costuma-se pintar a fachada inteira de novo, o que pode ser mais caro”, alerta.

Outro desafio é manter a harmonia da cor escolhida com outros detalhes da fachada. Claudia afirma que os tons precisam conversar. Numa casa amarela, portas e janelas de madeira em diferentes tons de marrom, por exemplo, podem trazer mais suavidade. A opção também pode ser pelo contraste. Rogério Castro explica que quis uma casa vermelha justamente para que ela se destacasse entre o verde da vegetação do entorno. “Eu queria criar esse impacto.”

PrimaPagina Terra