publicidade

Em casa, Brunete Fraccaroli dá tom colorido só aos detalhes

A arquiteta Brunete Fraccaroli abriu seu apartamento e conversou sobre trabalho, decoração, garrafas de água e Barbies. O local é predominantemente de cor neutra  para surpresa de quem conhece os projetos em tons fortes pelos quais a arquiteta ganhou fama
Foto: Bruno Santos/Terra
  • Especial para o Terra
 

Quem conhece alguns projetos da arquiteta Brunete Fraccaroli ou viu seu jeito pouco discreto no reality show “Mulheres Ricas” sabe o quanto ela gosta de cores. Na Casa Cor 2012 de São Paulo, por exemplo, ela apresentou um ambiente inspirado na apresentadora Sabrina Sato, no qual predominam tons fortes, como o vermelho e o laranja. É uma surpresa, portanto, notar que o apartamento da arquiteta não é extremamente colorido. Típica evidência de que “em casa de ferreiro, o espeto é de pau”? Não é bem assim. “Minha casa é uma base”, conta ela, acrescentando que, assim, tem a possibilidade de mudar semanalmente as cores de seu lar.

Os toques coloridos, então, aparecem nos detalhes – e a atenção de Brunete a isso fica clara logo que ela entra na sala de seu apartamento: ajeita um vaso em cima da mesa de centro e corta pequenos pedaços de caule de algumas flores, para que fiquem todas em harmonia. Sentada em seu sofá, a arquiteta falou sobre a decoração de seu próprio lar, o começo da carreira e seu trabalho. Conhecida também por sua coleção de bonecas Barbies, contou ainda como suas bonecas sumiram, mas foram resgatadas e ganharam um banho de estilo.

Clique na aba de fotos e veja as fotos de seu apartamento e de alguns projetos realizados por ela.

Você é conhecida como a arquiteta da cor, mas sua casa é bem clean. Por que essa opção?
Brunete Fraccaroli
: Porque ela é uma base. Como gosto muito de cor, toda semana mudo os acessórios. Tenho a possibilidade de brincar com a cor. Na maioria dos meus projetos para clientes, o ambiente é de uma cor neutra, porque acho que a gente tem que ter constante mudança para não enjoar. Então, mudo minha casa toda semana.

Quando faz projetos para clientes, você também costuma usar tons neutros?
Brunete Fraccaroli
: Lógico. As pessoas falam que adoram cor, mas querem a casa clara. Aos poucos, vou introduzindo a cor. Estou fazendo um projeto no qual a base é toda cinza, e jogo uma pincelada de azul, uma de amarelo. Na Casa Cor, meu projeto tem cores superfortes porque é um ambiente em que se fica de vez em quando, e não sempre.

Seu apartamento também tem muitos espelhos. Por quê?
Brunete Fraccaroli
: Amo espelhos. Aonde você coloca um, prolonga a casa e amplia o ambiente. Por isso, quis colocar minha coleção de águas no espelho para que elas flutuassem no ar. Minha estante já foi branca, e aparecia muito. Hoje, não. Ela desapareceu.

E sua coleção de águas?
Brunete Fraccaroli
: São garrafas muito especiais, para colecionadores. Como tenho uma indústria de aromas, sempre faço pesquisa de design de frascos. Criei essa estante para ter aquelas que gosto. Toda vez que alguém viaja, traz uma para mim. Cada uma das garrafas tem um significado.

E por que optou pela transparência, que se destaca na sua sala?
Brunete Fraccaroli
: Gosto muito de transparências e de brilhos, e acho que trago isso para a minha casa, porque ela não foi decorada. Mudei com a malinha de mão e deixei a outra casa toda montada. Fui adquirindo as coisas que tenho porque gosto muito. Gosto da mesinha do designer Fernando Akasaka, da cadeira dos Irmãos Campana, que são consagrados designers brasileiros de móveis, do arquiteto Frank Gehry, do designer Philippe Starck. É um apanhado de obras de arte e de coisas que coleciono. Não é uma decoração.

Como as Barbies entraram na sua vida?
Brunete Fraccaroli
: Preparei uma sala de ginástica em uma Casa Cor, e fizeram uma matéria chamada “Fogueira das Vaidades”, sobre quem brigou com quem naquela mostra. Disseram que eu não briguei com ninguém porque era uma Barbie, não tinha cliente. Foi uma matéria pejorativa, chorei uma semana. Nunca tive Barbie na vida. Pendurei uma vestida de ginástica na porta do meu ambiente, e todo mundo riu e começou a me dar bonecas de presente. Foi assim que comecei minha coleção.

Então, com isso, deu uma virada na sua história?
Brunete Fraccaroli
: Não, ainda tive muitos limões antes da limonada. Minha filha doou minhas Barbies para uma menina pobre de São Vicente. A gente estava de mudança, e ela disse que eu não brincava de bonecas. Mas, na época, ia colocá-las em uma exposição. Paguei resgate, troquei por brinquedos, mas elas voltaram peladinhas. Mandei para vários estilistas vestirem, porque era impossível eu montar as Barbies a tempo. Consegui assim uma coleção inédita feita por vários estilistas brasileiros, que mostrei na Casa Cor. Tenho mais de 120 bonecas, muitas com roupinhas de designers como Clodovil, Vera Arruda, Huis Clos e Almir Slama. Todo mundo fez roupinhas para as minhas bonequinhas.

Seu escritório é colorido, e sua casa, básica. Qual tem mais a sua cara?
Brunete Fraccaroli
: Ambos. Sou tão eclética que mudo, sou mutante. Tudo tem a minha cara: o ambiente colorido que fiz agora na Casa Cor, o escritório cor-de-rosa, a minha casa, que é neutra. Quando você vem para casa você quer calma, paz, tranquilidade, quer receber as pessoas e que elas fiquem bem. Cada cor é determinante para um certo espaço.

Terra