publicidade

De quarto a escritório, veja os possíveis usos de um sótão

Janelas no teto devem estar previstas no projeto da casa. Caso contrário, demandam uma série de adaptações
Foto: Shutterstock
  • Especial para o Terra
 

O espaço entre o telhado e a laje da casa é quase sempre subestimado na arquitetura brasileira. Quando muito, serve de depósito de bagunça (principalmente material de construção), com fiação exposta e a indefectível caixa-d’água. É, numa palavra, um forro. No entanto, com um pouco mais de espaço – e de bom gosto –, é possível aproveitar melhor esse cômodo e transformá-lo num sótão.

Para a designer de interiores Rosângela Pimenta, de São Paulo, são várias as utilidades que podem ser dadas ao ambiente. Uma das mais comuns é quarto de hóspedes. “Desde que o teto tenha a altura adequada, essa é uma ótima alternativa. Porém, a proximidade com o telhado torna necessária a instalação de um ar-condicionado, pois o espaço pode se tornar abafado demais, especialmente no verão”, afirma.

Há quem prefira fazer um escritório. Não por acaso: o cômodo fica mais isolado do restante da residência, garantia de mais tranquilidade para se trabalhar. “Para ocupar os espaços de acesso mais difícil, próximos ao telhado, é interessante usar estantes baixas e bancadas, que podem ser improvisadas com cavaletes”, sugere a arquiteta Mayra Munhoz, também de São Paulo.

Um dos principais desafios para tornar o sótão funcional é dar um jeito de se chegar facilmente até ele. Alguns moradores optam por escadas que se fecham, para não atrapalhar a circulação dos ambientes de baixo. As especialistas, porém, recomendam um modelo fixo, especialmente se crianças quiserem ter acesso ao cômodo.

“Outro cuidado que se deve ter é em relação ao chão, que muitas vezes precisa de um tratamento acústico diferenciado, pois a laje raramente é elaborada de modo a abafar os ruídos. Um tipo de piso bastante usado para essa finalidade é o vinílico”, diz Rosângela.

Aproveitando os espaços

A grande inclinação do telhado pode dificultar o aproveitamento de boa parte do sótão. Nesse caso, uma opção é colocar estantes ou assentos tipo tatame nos pontos mais baixos. “Você também pode fechar esses locais e utilizar como uma espécie de armário, evitando que as pessoas batam a cabeça no teto”, propõe a designer de interiores.

O telhado também dificulta a entrada de luz no ambiente. Por esse motivo, o mais indicado é apostar em janelas e vitrais. Isso, no entanto, precisa estar previsto no projeto da residência, caso contrário, vai implicar uma série de adaptações para evitar infiltração pelas telhas, por exemplo.

“Se a iluminação natural não for suficiente para todo o local, também podemos projetar iluminação artificial, com lâmpadas apropriadas e luminárias aconchegantes, como arandelas e abajures”, diz Mayra.

Terra