6 eventos ao vivo

Arquiteto cria casa-mirante com vista panorâmica de Brasília

  • separator
  • comentários

Quando o arquiteto Danilo Matoso Macedo foi procurado para construir uma casa no Lago Sul, uma das áreas mais nobres e bonitas de Brasília, encarou o desafio de lidar com a memória afetiva do cliente. A pessoa havia morado durante toda a infância naquela rua, e, depois de adulto, comprou um terreno no local para lembrar dos velhos tempos. Para projetar um lugar tão especial, Macedo decidiu aproveitar o que a capital federal tem de melhor: as paisagens sem fim, que se perdem no horizonte. Criou, então, uma verdadeira casa-mirante.

Ao construir a casa com a maior elevação permitida na área, o arquiteto Danilo Matoso Macedo criou um verdadeiro mirante no Lago Sul, em Brasília, com vista panorâmica de 120° para a capital federal
Ao construir a casa com a maior elevação permitida na área, o arquiteto Danilo Matoso Macedo criou um verdadeiro mirante no Lago Sul, em Brasília, com vista panorâmica de 120° para a capital federal
Foto: Divulgação: Joana França


O imóvel foi construído com a maior elevação permitida na área, onde só há casas. Assim, o segundo andar da residência, que é suspenso sobre pilotis, ficou acima dos telhados da vizinhança, oferecendo aos moradores uma das vistas mais deslumbrantes da cidade. De lá é possível observar o Lago Sul; a ponte Juscelino Kubitschek, que liga a região ao Plano Piloto; e todo o Eixo Monumental, onde fica a Esplanada dos Ministérios.


Para fazer dessa parte da casa um observatório panorâmico toda a área social foi integrada – não há paredes separando a cozinha das salas de estar e de jantar – e a área foi coberta com janelas de fita, que se espalham por três das quatro faces do imóvel. “É possível ter uma vista de 120°", afirma Macedo.


O projeto foi elaborado em parceria com outras três arquitetas – Angela Nemer, Simone Fonseca e Viviane Berlim – e a vista panorâmica não é o único destaque. Macedo criou uma casa que já está preparada para o crescimento da família. No próprio segundo andar, onde fica a suíte máster, há um quarto de bebê com acesso direto ao quarto dos pais.


Além disso, toda a parte de baixo do imóvel foi pensada para se transformar em um “apartamento independente” para os futuros filhos, quando estes crescerem. Completamente separada da parte principal da casa, que fica no segundo andar, o térreo conta com cozinha, quartos, sala e banheiro, e se abre para a área de lazer do imóvel, onde há uma piscina, jardim, sala de jogos e deck. Enquanto os filhos não vêm, tudo isso funciona muito bem para receber hóspedes.


Lidando com a natureza


Se as vistas são infinitas em Brasília, o sol não fica atrás. E essa foi uma das questões com as quais Macedo teve de lidar em seu projeto: “O local tem a melhor vista e a pior orientação solar, com o sol batendo o dia todo – e diretamente na sala no fim da tarde. Por isso fizemos uma laje que ficasse para fora, protegendo a casa”, explica o arquiteto. O sol também produz um efeito estético na casa: de acordo com a posição do astro no céu, a laje fica de uma cor diferente.


Outra preocupação foi construir um imóvel que se adaptasse bem às oscilações de temperatura na capital federal. Para isso Macedo optou por trabalhar com pedra em  toda a casa, para mantê-la arejada, mas sem esfriar muito no inverno. Mais uma vez, o arquiteto pensou no futuro e na passagem do tempo: a ideia é que cresçam musgo e trepadeiras nos muros, mostrando o envelhecimento do imóvel.

Fonte: PrimaPagina Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade