Bar australiano sem fim lucrativo doa ganhos para caridade

13 ago 2014
13h00
  • separator
  • comentários

A iniciativa é inédita e impressiona: aberto na Austrália, o Shebeen, é o primeiro bar da Oceania sem fins lucrativos, que doa todo seu lucro a organizações de combate à pobreza nos países em desenvolvimento. Inaugurado no início de 2013 e formado por um grande time de investidores sociais e voluntários dedicados, o Shebeen opera de forma simples: “Doamos 100% dos nossos lucros, e é a sua escolha no bar que determina onde esse dinheiro vai parar. Nós vendemos bebidas de 11 países em desenvolvimento e enviamos os lucros de volta para um determinado projeto de ajuda humanitária no país onde aquela bebida teve origem”, explica Simon Griffiths, 32 anos, empresário e fundador da empresa.

<p>A escolha por um vinho sul-africano, por exemplo, se reverte em lucros destinados para a Room to Read (Quarto para Ler), um projeto de alfabetização na África do Sul</p>
A escolha por um vinho sul-africano, por exemplo, se reverte em lucros destinados para a Room to Read (Quarto para Ler), um projeto de alfabetização na África do Sul
Foto: @shebeenbar/Instagram / Reprodução

Depois de quitadas todas as contas, os lucros são divididos entre os sete atuais parceiros beneficiários. Se você comprar uma cerveja Dashen da Etiópia (África), por exemplo, os lucros irão para uma instituição de caridade chamada KickStart (Comece Bem), que fornece bombas de água para agricultores pobres. Já a escolha por um vinho sul-africano se reverte em lucros destinados para a Room to Read (Quarto para Ler), um projeto de alfabetização na África do Sul.

A primeira doação no valor de US$ 12.878 (cerca de R$ 27 mil) foi feita no final de junho de 2013, acumulados nos primeiros cinco meses de funcionamento. “Escolhemos organizações que buscam novas ideias e abordagens, na esperança de gerar soluções mais rentáveis e melhores para problemas persistentes como a pobreza, a fome e a educação”, completa o australiano, que também ajuda instituições na Ásia e América Latina.

Mudança na filantropia
Após se formar em Engenharia e Economia em 2007, Simon Griffiths se mudou para África para fazer o que mais gostava: melhorar a qualidade de vida nas nações em desenvolvimento. Depois de um tempo visitando organizações sociais, Griffiths notou algo em comum: “Em cada uma delas, eu via o mesmo problema: financiamento insuficiente”, disse ele. Quando retornou à Austrália, veio determinado a mudar o mercado da filantropia. Foi assim que nasceu o Shebeen.

<p><em>"</em>Nós vendemos bebidas de 11 países em desenvolvimento e enviamos os lucros de volta para um determinado projeto de ajuda humanitária no país onde aquela bebida teve origem<em>"</em>, explica Simon Griffiths</p>
"Nós vendemos bebidas de 11 países em desenvolvimento e enviamos os lucros de volta para um determinado projeto de ajuda humanitária no país onde aquela bebida teve origem", explica Simon Griffiths
Foto: @shebeenbar/Instagram / Reprodução

O empresário atua em duas outras empresas sociais, fora o bar: a ripple.org, um site de transações financeiras que doa 100% de sua receita para organizações de ajuda ao desenvolvimento, e a Who Gives a Crap? (Quem se importa?), uma companhia de papel higiênico que usa metade de seus lucros para construir banheiros em países em desenvolvimento. Agora, consolidado em Melbourne, Griffiths quer abrir espaços semelhantes em outras cidades da Austrália e até mesmo no exterior.

Fonte: Dialoog Comunicação

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade